Ricardo Pinto está desaparecido no mar

A Capitania dos Portos do Paraná, sediada em Paranaguá, estava à busca hoje de uma lancha, em que o ex-goleiro Ricardo Pinto saiu para pescar com dois amigos e o marinheiro. Ele saiu de casa, em Curitiba, às 6 horas da manhã de ontem e deveria ter retornado por volta das 14 horas, mas até a tarde de hoje não tinha aparecido. Por volta das 18h30, o atendente da Capitania dos Portos disse apenas que o caso continuava "em aberto". A mulher do ex-goleiro, que defendeu o Fluminense, Corinthians e Atlético Paranaense, e hoje tem uma escolinha de futebol em Curitiba, Andressa, disse, em entrevista à afiliada da Rádio CBN, em Curitiba, por volta das 16h30, que essa era a primeira vez que ele saia para pescar com os amigos. "O marinheiro é bem experiente, o que leva a crer que eles estão bem", afirmou Andressa, que estava no litoral paranaense. Eles saíram em uma lancha de 24 pés. "A embarcação é grande, forte e não tem perigo de virar", disse a mulher do ex-goleiro. "Então eles devem estar bem." Segundo ela, no único contato que fizeram com a marina, por volta das 23 horas de ontem, disseram que tinha um problema no motor da embarcação. Os amigos tinham ido pescar nas proximidades da Ilha dos Currais, divisa com São Paulo. O tempo bastante ruim no litoral estava dificultando as buscas realizadas hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.