Ricardo Teixeira descarta o Morumbi para Copa de 2014

Ao confirmar a capital mineira como uma das sedes da eventual Copa do Mundo de 2014 no País, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, praticamente descartou nesta segunda-feira o Estádio do Morumbi como possível palco dos jogos.?O Morumbi tem um problema da mais alta seriedade?, disse Teixeira, após se encontrar com o governador de Minas, Aécio Neves (PSDB), no Palácio dos Despachos. ?Ele fica jogado numa das áreas mais valorizadas da cidade de São Paulo. Ele não tem estacionamento. Ele é um estádio que no meu modo de ver teria de ter uma reforma muito complicada em termos financeiros?.O dirigentes afirmou, porém, que confia na pujança da capital paulista para que a cidade seja aprovada como sede da sonhada Copa no Brasil. Em relação ao Maracanã, Teixeira disse que a situação é muito parecida com a do Morumbi, mas pode-se adotar uma solução ?paliativa? em relação à área de estacionamento. Teixeira garantiu que já há grupos empresariais, inclusive do exterior, interessados em investir na construção de estádios multiuso no País. Ao lado de Aécio, o mandatário da entidade fez elogios ao Mineirão, afirmando que o Estádio da Pampulha é um dos poucos do Brasil ?que ainda tempossibilidade de, numa ampla reforma, fazer tudo aquilo que a Fifa exige?. O governador de Minas anunciou a formação de um grupo de trabalho - formado pelos presidentes de Atlético-MG, Cruzeiro e América-MG e representantes do governo estadual - que irá levantar as obras necessárias para que o estádio possa sediar partidas da Copa caso o Brasil seja confirmado como país-sede da competição em 2014.Aécio chegou a reivindicar que a partida de abertura ou a final da Copa doMundo se realize em Belo Horizonte. O presidente da CBF disse que a entidade deverá apresentar à Fifa uma lista de 18 cidades brasileiras, para que 12 sejam escolhidas como sede. ViolênciaQuestionado se os episódios de violência - com ataques atribuídos a facções criminosas - que atingiram São Paulo e, mais recentemente, o Rio de Janeiro, poderiam repercutir negativamente na candidatura brasileira, Teixeira se mostrou despreocupado.?Me lembro que nenhuma das copas, excetuando a da Alemanha, foi considerada como factível em nenhum dos países?, disse. ?A da Espanha, disseram que tinha problema dos bascos. A do México, tinha tido terremoto antes. A da Argentina, não se realizaria porque tinha problemas de segurança, inclusive com bombas. O Brasil, tenho certeza absoluta, já teve outros eventos, vai realizar independente desses problemas que eu tenho convicção absoluta que serão todos eles suplantados?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.