Dida Sampaio/AE
Dida Sampaio/AE

Teixeira diz não temer investigação de Comitê de Ética da Fifa

Ex-presidente da CBF é investigado por venda de voto para o Catar

O Estado de S. Paulo

21 de outubro de 2015 | 19h01

O ex-presidente da CBF, Ricardo Teixeira, parece não ter se abalado por ver seu nome envolvido em investigação do Comitê de Ética da Fifa, ao lado de nomes como o do alemão Franz Beckenbauer, divulgado nesta quarta-feira. Em entrevista ao site Terra, o ex-dirigente garantiu que não tem nada a temer e que não cometeu nenhum erro.

"É sobre a Copa no Catar, até porque para 2018 eu votei na Espanha e não na Rússia", declarou Teixeira. A Fifa investiga possíveis venda de votos para os dois mundiais, de 2018, na Rússia, e de 2022, no Catar.

Teixeira garante que não votou nos russos e ainda adianta um acordo da América do Sul para apoiar a campanha catariana.

"A América do Sul votou no Catar. E por quê?  Porque para 2018 o Catar ficou encarregado de conseguir votos para a Espanha, como de fato conseguiu.", explicou Teixeira. "E nós, da América do Sul, e mais a Espanha, então decidimos que em troca daríamos apoio ao Catar. Foi exatamente isso o que aconteceu, nenhuma virgula a mais."

Estas declarações de Teixeira teriam colocada a Fifa no seu rastro, de acordo com o próprio dirigente. "A partir dessa minha explicação, o Comitê de Ética resolveu mudar a direção das investigações. Até porque ninguém tinha dado essa versão sobre o caso."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.