Arquivo/AE
Arquivo/AE

Ricardo Teixeira pede discussão técnica sobre Morumbi

Projeto de reforma do estádio é considerado insuficiente pela Fifa para que ele receba jogos importantes

EDUARDO KATTAH, Agencia Estado

23 de setembro de 2009 | 19h21

O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, disse nesta quarta-feira que a discussão envolvendo a possibilidade de o Morumbi receber a abertura e os jogos importantes da Copa do Mundo de 2014 não pode descambar para o "lado emocional". "Não existe nenhuma dúvida para quem quer que seja do que são as exigências da Fifa", afirmou o dirigente, após uma reunião com o governador de Minas, Aécio Neves (PSDB), em Belo Horizonte. "Agora não pode ir para o lado emocional, esse é um fato única e exclusivamente técnico. É você cumprir o que está escrito ali, não tem mistério."

O projeto para a reforma do Morumbi é considerado pela Fifa insuficiente para que ele seja sede jogos importantes da Copa, como a abertura e até mesmo as semifinais. Segundo o secretário-geral da entidade, Jerome Valcke, que fez duas críticas ao projeto, o estádio teria condições de receber apenas partidas da primeira fase do Mundial - apontou problemas na área externa e na capacidade do local. Mas o presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, minimizou a questão.

Para Ricardo Teixeira, contudo, as exigências da entidade são claras. "E as 12 cidades têm noção exata das necessidades de cumprimento com relação aos estádios. Tem que ficar muito claro que quando você postula fazer os jogos de maior importância, quer a abertura, quer o fechamento, automaticamente o teu estádio tem que ter um nível muito superior ao estádio que vai receber jogos normais", explicou o presidente da CBF, que também comanda o Comitê Organizador da Copa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.