Ricardo Teixeira recompensa seus eleitores

Empossado para o seu 5º mandato seguido na presidência da Confederação Brasileira de Futebol, Ricardo Teixeira tratou de agradecer aos seus fiéis eleitores, as federações estaduais. Na cerimônia desta sexta-feira, durante a Assembléia Geral da CBF, no Rio, o dirigente liberou R$ 1,5 milhão para ser dividido igualmente entre as 27 entidades e também acenou com a possibilidade de extensão dos campeonatos estaduais a partir de 2006.Confirmado na presidência da CBF até janeiro de 2008, Ricardo Teixeira trabalha agora para acalmar os ânimos dos presidentes de federações, que passam por crise financeira e estão revoltados com a redução dos campeonatos estaduais desde a implantação do Brasileiro por pontos corridos, em 2003.O presente de Ricardo Teixeira será dividido em partes iguais pelos 27 presidentes de federações estaduais, o que dará cerca de R$ 56 mil para cada entidade. O dinheiro veio da venda do prédio da antiga sede da CBF, no centro do Rio, negociado no final de 2003.Sobre o calendário do futebol nacional, Ricardo Teixeira lembrou que, em 2006, com a realização do Brasileiro com 20 clubes, haverá uma folga de 2 meses no ano, o que possibilitaria o aumento de datas para os campeonatos estaduais. Mas, ele garantiu que, por enquanto, ?não está nada decidido" sobre esse tema.Apesar de nada "estar decidido", tanto o presidente da Federação Estadual de Futebol do Rio de Janeiro, Eduardo Viana, quanto o de Santa Catarina, Delfim Peixoto, já afirmaram que a "folga" no calendário servirá para aumentar os campeonatos estaduais."Mas é claro que o Ricardo (Teixeira) usará as datas para aumentar os campeonatos", afirmou Delfim Peixoto. "As federações estão falidas porque diminuíram nossos campeonatos para aumentar o Brasileiro." Política - Ao lado de Ricardo Teixeira, também foram empossados os cinco vice-presidentes da CBF. São eles: José Sebastião Bastos (Nordeste), Fernando Sarney (Norte), Nabi Abi Chedid (Sudeste), Emídio Perondi (Sul) e Weber Magalhães (Centro-Oeste).Filho do ex-presidente e senador José Sarney, Fernando Sarney será o dirigente responsável por atuar em Brasília em favor da CBF. Em seu discurso de posse, Ricardo Teixeira lhe fez vários elogios e lembrou que seu trabalho é algo "inacreditável" - ele já é o representante da entidade no Conselho Nacional de Esportes."A CBF é uma entidade política e vamos fazer a defesa de nossos interesses de forma transparente", disse Fernando Sarney, que acompanha Ricardo Teixeira desde sua primeira eleição para o cargo de presidente, em 1989. "Acho que a CBF precisa dar um trato na imagem em Brasília. A entidade tem uma imagem que não condiz com a realidade e vou cuidar disto."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.