CBF/Lucas Figueiredo
CBF/Lucas Figueiredo

Richarlison destaca trabalho na seleção: 'Se pudesse, morava na Granja Comary'

'As pessoas me veem brincando, sempre feliz, e confundem brincadeira com trabalho', disse o atacante da seleção brasileira

Felipe Rosa Mendes, O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2022 | 12h07

Com a concorrência cada vez mais apertada na seleção brasileira, Richarlison quer aproveitar cada momento no time de Tite, de olho na Copa do Mundo do Catar. Na quinta-feira, ele será um dos titulares no disputado ataque brasileiro, no amistoso com a Coreia do Sul, em Seul, e não esconde a alegria pela nova oportunidade: "Se eu pudesse, eu morava na Granja Comary", afirmou.

"As pessoas me veem brincando, sempre feliz, e confundem brincadeira com trabalho. Quando estou trabalhando, trabalho sério", avisou o atacante do Everton, cada vez mais focado no Mundial, que será disputado entre novembro e dezembro deste ano.

Richarlison lembrou da boa atuação na goleada sobre o Chile, no fim de março. Na ocasião, em jogo das Eliminatórias, ele entrou em campo somente nos minutos finais. Mas não se intimidou com a pressão de jogar num Maracanã cheio e deixou sua marca.

"Muitas pessoas me viam fora da Copa. E, quando entro no Maracanã lotado, mesmo com poucos minutos, fiz o meu melhor e fiz os meus gols. Aqui na seleção, visto qualquer camisa, a nove, a sete ou a 21. Vou entrar e fazendo os meus gols, vou continuar ajudando a equipe. As pessoas acabam nos desrespeitando. Sou um cara alegre e brinco com qualquer um. Deveriam olhar mais para o meu trabalho do que para as brincadeiras que faço no extracampo."

Na quinta, o atacante deve compor um quarteto ofensivo ao lado de Neymar, Raphinha e Lucas Paquetá. Richarlison, portanto, venceu uma disputa direta com Gabriel Jesus, que voltou a ser chamado por Tite. Para o amistoso seguinte, com o Japão, no dia 6, haverá ainda a concorrência de Vinícius Júnior e Rodrygo, embalados com o título do Real Madrid na Liga dos Campeões. Eles serão reservas nesta quinta por conta do desgaste da final de sábado e também em razão da longa viagem até Seul.

Richarlison também comentou sobre o seu futuro no futebol europeu. Desanimado no Everton, que quase foi rebaixado no Campeonato Inglês, ele indicou que deve defender outro clube na próxima temporada europeia, que começa em agosto.

"Eu já deixei claro para a diretoria, já conversei com o (técnico Frank) Lampard também, com meus empresários e eles sabem o que eu quero. Vamos esperar esse mês, no momento, estou focado na seleção", disse o atacante, tentando desconversar sobre o assunto. "Agora não posso falar, porque, quando fala em sair de um clube eu fico meio assim, pela história que tenho no Everton, sei que os torcedores gostam de mim. Quando fala em sair, fico meio sem ter o que falar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.