Tiago Queiroz/AE
Tiago Queiroz/AE

Richarlyson chora e agradece apoio da torcida do São Paulo

Autor do gol da vitória sobre o Fluminense, volante jogou na zaga e, mesmo assim, foi um dos melhores

Gabriel Navajas, Agencia Estado

20 de agosto de 2009 | 01h19

Assim que o árbitro baiano Arilson Bispo da Anunciação apitou o fim do jogo, com mais uma vitória do São Paulo, a sétima consecutiva, os jogadores se reuniram no meio de campo e saudaram a torcida. Agradeceram pelo apoio. Um, em especial, estava mais emocionado: Richarlyson.

Veja também:

linkJOGO - Leia como foi São Paulo 1x0 Fluminense 

especialMASCOTES - Baixe o papel de parede do seu time

especialVisite o canal especial do Brasileirão

Brasileirão 2009 - lista Tabela | tabela Classificação

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Nesta quarta-feira, o polivalente jogou na zaga e foi o melhor da partida. Não só pelo gol marcado aos 22 minutos do primeiro tempo. Não perdeu um lance lá atrás, orientou e chamou a atenção até mesmo de Rogério Ceni, que trocou uma bola perigosa com André Dias dentro da área.

"Eu sabia que no momento certo a bola iria entrar", disse Richarlyson, que marcou o seu 11.º gol pelo São Paulo em 186 jogos. "Fico emocionado porque tenho minha mãe, meu pai e meu irmão perto de mim. Eles estão juntos comigo num momento como este".

Richarlyson ficou tão emocionado que até chorou. "Depois de uma vitória suada como essa eu fico emocionado. Agradeço a Deus, mas aos meus familiares também. Tenho certeza de que eles vibraram mais do que eu".

Ele teve o nome gritado pela maioria do estádio. Exceto pela organizada que prefere persegui-lo. "Não estou preocupado com os que me perseguem. Tenho de dar satisfação ao Juvenal [Juvêncio, presidente], ao Ricardo Gomes, aos jogadores e à maioria da torcida".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.