Marcio Fernandes/AE
Marcio Fernandes/AE

Richarlyson critica time no Rio, mas ainda crê no título

Volante afirma que a equipe se acomodou após fazer o gol na partida contra o Flamengo no Maracanã

Giuliander Carpes, Agencia Estado

12 de outubro de 2009 | 21h08

Após a derrota por 2 a 1 para o Flamengo, sofrida no sábado, o São Paulo voltou aos trabalhos nesta segunda-feira, em pleno feriado de Nossa Senhora Aparecida. Diante da chance desperdiçada de encostar no líder Palmeiras, Richarlyson criticou a postura do time no Rio. "A gente se acomodou de novo depois de fazer 1 a 0. Time que quer ser campeão não pode só se defender. Fez o gol tem que continuar jogando da mesma forma", opinou.

Veja também:

linkJOGO - Leia como foi Flamengo 2x1 São Paulo 

especialMASCOTES - Baixe o papel de parede do seu time

especialVisite o canal especial do Brasileirão

Brasileirão 2009 - lista Tabela | tabela Classificação

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

O volante se referia a outros três empates conquistados nos últimos jogos. Pela 25.ª rodada do Campeonato Brasileiro, o São Paulo abriu o placar diante do Santo André e cedeu a igualdade por 1 a 1. Já contra o Coritiba, na última quarta-feira, no Morumbi, a equipe novamente fez 1 a 0 e chegou a tomar a virada, para só depois empatar a partida por 2 a 2. Assim, o time não tem conseguido diminuir a diferença para o Palmeiras, apesar dos tropeços do rival.

Nesta segunda, os palmeirenses foram até o Recife e perderam por 3 a 0 para o Náutico, fato comemorado no São Paulo. "A gente tem que diminuir a diferença quando tem oportunidade", pediu Richarlyson, que vê sua equipe a cinco pontos do Palmeiras. "Mas claro que a gente fica feliz de saber que podemos treinar esta semana e nosso próximo jogo ainda será importante. Nosso objetivo maior ainda é o título."

No próximo sábado, o São Paulo recebe o quarto colocado Atlético-MG, e Richarlyson acha que o time não pode mais perder pontos em casa. "Não podemos mais deixar de somar pontos no Morumbi. A esta altura do campeonato, com certeza, seria dar adeus ao título", explicou o volante. "O campeonato é muito equilibrado. Até nossa vaga no G-4 está ameaçada", concluiu, temendo a não classificação à Copa Libertadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.