Rico e famoso, Beckham mantém sonho de títulos

Aos 31 anos, David Beckham acumula fama, dinheiro e prestígio. Falta a ele um título de expressão pela Inglaterra. A última oportunidade pode ser nesta Copa, sua terceira consecutiva. Sábado, o adversário é duríssimo: Portugal, pelas quartas-de-final, em Gelsenkirchen. ?Sei que esta pode ser minha última chance, mas procuro não ficar pensando muito nessas coisas?, diz o meia. ?O foco é sempre o próximo jogo.?Beckham colecionou títulos com o Manchester United (mundial, europeu, inglês) e joga no galáctico Real Madrid há três anos. Está entre os cinco jogadores mais bem pagos do mundo desde 2000. Mas, em 94 jogos pela seleção inglesa, seu maior mérito se resume a um gol de falta contra a Grécia, nos últimos minutos do jogo que classificou a Inglaterra para a Copa de 2002. Pouco para uma estrela desse porte. É por isso que ele deseja muito conquistar a Copa. ?Seria muito importante não só para mim, mas para toda uma legião de torcedores na Inglaterra que tem nos apoiado bastante?, diz o jogador.Neste Mundial, o meia teve altos e baixos. Semana passada, foi muito criticado - até o técnico Sven-Göran Eriksson ameaçou mandá-lo para a reserva. Beckham ouviu em silêncio e, como ele mesmo disse depois, ?calou a boca dos críticos? com um golaço de falta contra o Equador, domingo, que qualificou o time inglês para disputar as quartas-de-final contra Portugal. ?Sei que todos nós não estamos jogando tudo aquilo que podemos. Mas o importante é que temos vencido. E tenho fé que ainda iremos longe no torneio?, disse Beckham.Sem medo de brigaDepois de passar mal e vomitar em campo durante o jogo contra o Equador, o meia garante que ?o calor não pode ser usado como desculpa. Estamos nas quartas-de-final de uma Copa e é hora de todos se superarem.?O estilo de jogo do time português, comandado por Luiz Felipe Scolari e que detém o recorde de indisciplina na Copa (18 amarelos e dois vermelhos), também não assusta Beckham. ?Somos ingleses e gostamos desse jogo de contato. Estamos acostumados a desviar de ?carrinhos?. Se o jogo descambar para esse lado, não teremos problemas?, afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.