Rincón chega; Cruzeiro sonha com Alex

O volante colombiano Freddy Rincón, de 34 anos, apresentou-se hoje ao Cruzeiro, clube onde deve ficar, pelo menos até maio de 2002, com a missão de comandar os demais jogadores em campo e tentar levar o time a pelo menos dois títulos inéditos: de campeão da Mercosul e do Campeonato Brasileiro. Colecionador de títulos, como dois bicampeonatos nacionais pelo Palmeiras e pelo Corinthians, Rincón já começa a trabalhar neste sábado, quando o grupo desclassificado da Copa dos Campeões no meio da semana, pelo Flamengo, reapresenta-se a Paulo Cezar Carpegiani, na Toca da Raposa."O que eu posso prometer à torcida do Cruzeiro é muito empenho, o mesmo que tive nos outros clubes onde atuei e que sempre deu certo, com conquistas importantes", disse o colombiano, que alugou o passe aos mineiros em bases financeiras não reveladas. De acordo com o presidente Zezé Perrella, a presença de Rincón deve ser fundamental para que os jogadores não cometam erros como os que teriam tirado o time da Copa dos Campeões - ele cita, por exemplo, o fato de quatro atletas cruzeirenses expulsos apenas nos dois confrontos com o Flamengo, pelas semifinais."Ele vem suprir uma grande carência do Cruzeiro, que é a necessidade de mais equilíbrio no meio de campo, mais catimba, entre aspas, em alguns momentos do jogo", afirmou. Apesar disso, Perrella garantiu que outros reforços são necessários e vários nomes estão sendo estudados. "Para o Brasileiro, acredito que ainda precisamos de um zagueiro, um meia de ligação e um atacante de velocidade para substituir Geovanni, vendido ao Barcelona", ressaltou.Um dos sonhos do clube mineiro é ter no elenco o meia Alex, do Parma. O dirigente informou que, em recente viagem à Europa, obteve o compromisso de dirigentes do clube italiano de que, caso o jogador venha a ser emprestado a uma equipe brasileira, a preferência será do Cruzeiro, embora o Palmeiras também tenha interesse em continuar com Alex. A definição deve surgir nos próximos dias, assim que for votada, na Itália, uma nova lei sobre o número de estrangeiros permitidos nos clubes locais. "Dependendo do resultado, o Parma pode emprestar ou não o atleta", disse Perrella.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.