Rincón perto do acerto com Corinthians

A volta de Freddy Rincón ao Parque São Jorge deve ser definida nesta terça-feira. Enquanto os procuradores do colombiano acertam com o Santos a liberação de seu passe, a Hicks Muse deve oficializar uma contraproposta ao jogador. Em reunião nesta tarde, na sede da empresa, nos Jardins, ficou definido que o Corinthians não aceitará pagar aluguel de passe ao volante. O argumento dos executivos da Hicks é o fim do passe a partir de 26 de março. "Sem o passe, não faz mais sentido o aluguel", explica o vice-presidente de futebol do clube, Antônio Roque Citadini.Para voltar ao Parque São Jorge, Rincón terá também de se enquadrar na política salarial do clube. Não terá mais, por exemplo, seu salário atrelado ao dólar - uma das razões que determinaram a sua saída do Corinthians no começo do ano passado, logo depois do Mundial de Clubes. No entanto, o colombiano deverá ganhar 100% do teto pago às principais estrelas da equipe, como o atacante Marcelinho, que recebe R$ 120 mil.Sem jogar desde a primeira fase da Copa João Havelange (sua última partida foi na vitória contra o Botafogo-RJ, na Vila Belmiro, por 4 a 1), Rincón mantém a forma treinando em uma academia na zona Sul de São Paulo. Tem feito esteira, bicicleta, step e um pouco de musculação. Engordou três quilos e meio nas férias, mas já perdeu dois. Na pesagem desta segunda-feira, ele estava com 86,6 quilos. Faltava pouco para voltar ao peso ideal (85). Isso significa que o colombiano está em condições de jogar imediatamente.Entre os dirigentes corintianos, há quase uma certeza de que Rincón deve aceitar a proposta da Hicks. Antônio Roque Citadini chegou a dizer que "Rincón está bem perto do Parque São Jorge". Até a mágoa contra o volante parece ter sido esquecida. O colombiano abandonou o Corinthians logo após o Mundial de Clubes e comunicou a decisão de não cumprir o resto do contrato por meio de um ofício, via cartório.Revoltada com a atitude de Rincón, a Gaviões da Fiel chegou a fazer um protesto público, atirando notas falsas de um dólar com a efígie de Rincón estampada nas cédulas, antes de um jogo contra o Santos, no Morumbi. O presidente Alberto Dualib prometeu, na ocasião, que o colombiano nunca mais vestiria a camisa do clube. Tudo isso, porém, caiu no esquecimento diante da possibilidade de conseguir um grande reforço por um custo relativamente baixo.O técnico Wanderley Luxemburgo, por enquanto, se nega a dar uma opinião sobre o negócio. "Essa é uma questão que está sendo discutida internamente." Mas os jogadores do Corinthians admitem que gostariam de ter Rincón de volta. Um dos mais entusiasmados é o atacante Marcelinho Carioca, que já teve problemas com o colombiano, mas torce por sua volta. "A responsabilidade de reforçar o time é da diretoria, mas não podemos deixar de reconhecer que o Freddy é um jogador especial." Outro jogador animado com a volta de Rincón é o meia Ricardinho, um de seus melhores amigos no Corinthians. "Nunca deixamos de nos falar por telefone."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.