Rio Branco ainda pensa na vaga

A queda da segunda para a terceira colocação na classificação geral não preocupa muito a comissão técnica do Rio Branco. A derrota para a Portuguesa de Desportos por 4 a 3 foi a segunda consecutiva dentro do Campeonato Paulista, mas não parece abalar a confiança do técnico Zé Teodoro."Estamos dentro do planejado. É lógico que duas derrotas seguidas são ruins, mas ainda estamos dentro da briga", afirma o técnico, lembrando que o time tem 20 pontos, dois a menos que a líder Ponte Preta.Sobre o pênalti marcado no final do jogo, Zé Teodoro evita os comentários. E diz estar preocupado agora com a partida contra o União Barbarense, no próximo domingo. "É um jogo difícil como os outros, e temos que pensar nele a partir de agora. Trabalhar para vencer", conclui.Mas, de forma geral, os jogadores e a comissão técnica do Rio Branco estão bravos com a dupla de arbitragem Alfredo Santos Loebeling e Sálvio Spínola Fagundes Filho, que apitaram a partida de domingo contra a Portuguesa e marcaram um pênalti no final do jogo. "O juiz deixou o jogo correr em muitos lances e nos acréscimos marcou um pênalti daqueles. Isso é ruim para nós, que estamos trabalhando para nos classificar", afirma o lateral Marcinho, que entrou no segundo tempo e estava do lado de Maxsandro quando a penalidade foi marcada.O lateral Alexandre Chagas acrescenta outro fato para explicar o acontecido. "Faltou mesmo foi experiência. O negócio era não entrar forte, encostar, que o juiz ia marcar o pênalti", comenta. O meia Silas, que retornou ao time após três semanas cumprindo o restante da suspensão que o Tribunal de Justiça Desportiva lhe havia imposto, analisava a sua atuação, que foi abaixo do esperado. "Fiquei mais recuado, protegendo a defesa, fazendo bem o papel no meio. Mas poderia ser melhor e o Zé Teodoro achou melhor que eu saísse no intervalo. O jogo não era para mim", diz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.