Rio Branco apóia restrição a menores

O clássico regional entre Rio Branco e União Barbarense, que acontece neste domingo, em Americana, vai ser vigiado bem de perto pela Promotoria da Infância e Juventude. Além de não permitir a entrada de menores de seis anos no estádio Décio Vitta, os torcedores com idades entre 6 e 14 anos só poderão assistir ao clássico regional se estiverem junto com os pais ou responsáveis e munidos de documentos.A intenção da Promotoria é preservar a segurança dos pequenos torcedores, já que o duelo envolve muita rivalidade e deve ser visto por um grande público. Os dirigentes não só acataram como elogiaram a decisão.A situação, porém, é bem diferente da vivida pelo União Barbarense. Em Santa Bárbara d´Oeste, a Justiça proibiu a entrada de menores de 18 anos no estádio Antonio Lins Ribeiro Guimarães. A decisão, tomada pela juíza Eliane Câmara Ferreira, da 3ª Vara da Infância e Juventude, criou grande polêmica na cidade. O motivo alegado para a proibição é de que o local não oferece plena segurança aos torcedores.A maior dúvida do técnico Zé Teodoro para o clássico é o meia Silas, que sentiu dores no joelho direito, na rodada passada, e está sendo poupado há três dias dos treinamentos. Nesta quarta-feira, inclusive, o jogador passaria por um novo teste físico.A notícia de que três jogadores seriam negociados com o Corinthians, ao final do Campeonato Paulista da Série A-1, irritou os dirigentes. O zagueiro Tiago, o volante Rafael e o atacante Anaílson teriam sido oferecidos ao time do Parque São Jorge. "É só especulação, não passa disso. Até o final do campeonato o clube não vai negociar ninguém", afirmou Celso Santini, vice-presidente do Rio Branco. Para liberá-los, o clube terá de pagar multa na rescisão contratual de R$ 3,5 milhões. O Rio Branco é o terceiro colocado, com 20 pontos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.