Rio-SP marca início de mudanças

Corinthians e São Paulo vão deixar o estádio do Morumbi em situação bastante distinta na tarde deste domingo, independentemente do título. Quando o árbitro Paulo César de Oliveira apitar o encerramento da decisão do Torneio Rio-São Paulo vai, ao mesmo tempo, dar o início à fase de reformulações na equipe são-paulina. Já do lado corintiano, haverá mudanças, mas não serão tão drásticas como no adversário.No Morumbi, tudo começou há três semanas, quando Marcelo Portugal Gouvêa foi eleito presidente do clube, no lugar de Paulo Amaral. Foi o suficiente para que o técnico Nelsinho Baptista, principal alvo das críticas do então candidato da oposição, anunciasse que não permaneceria no São Paulo, mesmo diante da possibilidade de conquistar o título. Oswaldo de Oliveira, ex-Corinthians e Fluminense, deve ser anunciado na terça-feira como seu substituto. Ele já dirigirá a equipe no Supercampeonato Paulista, embora o treinador não confirme ainda sua transferência para o Morumbi.O grupo de jogadores também vai ser outro no segundo semestre. França já está de malas prontas para a Alemanha, onde vai se apresentar ao Bayer Leverkusen.O zagueiro Emerson, após desempenho sofrível nos últimos jogos, vai ser devolvido à Portuguesa. A situação do atacante Reinaldo ainda está indefinida. O meia Kaká também é uma incógnita. Se tiver bom desempenho na Copa do Mundo, a expectativa dos dirigentes é de que apareçam propostas do exterior, embora sua transferência não seja concretizada por menos de US$ 20 milhões. É o mesmo caso do lateral-direito Belletti. A diretoria espera aproveitar sua passagem pela seleção para tentar negociá-lo.Antes das mudanças, o torcedor quer ver o time ganhar um título. Não agüenta mais perder do arqui-rival. Para tentar motivar os jogadores, cerca de 800 pessoas compareceram neste sábado ao Centro de Treinamento. "É importante o apoio do torcedor", analisou Nelsinho.O Corinthians sai do Rio-São Paulo pensando na decisão da Copa do Brasil contra o Brasiliense, quarta-feira, em Brasília. O time paulista joga também pelo empate para ser campeão. É com essa conquista que os dirigentes do Parque São Jorge estão mesmo contando. Será a volta do time à Copa Libertadores da América, que poderá gerar receita para o clube.O Corinthians prevê dificuldades pela frente, por causa da mudança no contrato de parceria com a Hicks Muse. Sem o aval financeiro da empresa norte-americano, o clube terá de gerar e administrar suas próprias contas bancárias. Assim, a torcida não deverá esperar por reforços no segundo semestre. Ao contrário, alguns jogadores deverão deixar o Parque São Jorge. O goleiro Dida disputa contra o São Paulo a penúltima partida pelo Corinthians, A despedida será quarta-feira. Depois, ele vai disputar a Copa do Mundo, em seguida se apresentará ao Milan, para cumprir mais dois anos de contrato com o clube italiano. Ricardinho sonha com uma transferência para o exterior. O meia é um dos poucos jogadores do elenco que não foram formados no clube cujo vínculo pertence exclusivamente ao Corinthians, sem a participação da Hicks Muse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.