Rio: torcidas organizadas se comprometem com a Justiça

Dirigentes assumiram o compromisso de entregar baderneiros à polícia para que não fossem fechadas

Redação,

21 de fevereiro de 2008 | 14h26

As torcidas organizadas dos quatro principais times do Rio (Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco) tiveram de assumir o compromisso de denunciar os torcedores que criarem problemas e entregar seus estatutos, indicando quem são seus dirigentes, ao Tribunal de Justiça do estado em reunião realizada nesta quinta-feira.Além dos juízes Rafael Estrela Nóbrega e Marcello Rubioli, do Tribunal, estiveram presentes representantes do Ministério Público e da Segurança Pública do Estado. Foi o primeiro encontro do Fórum Permanente das Torcidas Organizadas do Estado do Rio de Janeiro. Foi enfatizado na reunião a necessidade da colaboração das torcidas organizadas com a atuação da Polícia Militar antes, durante e depois da realização dos jogos, mostrando que a própria torcida deve se responsabilizar pela indicação dos "baderneiros" e apresentá-los à polícia ou diretamente ao Juizado Especial Criminal (Jecrim) instalado nos estádios nos dias de jogo. Ficou também decidido que, se os torcedores que provocarem tumulto forem membros de alguma torcida organizada, esta também será penalizada, podendo inclusive ser impedida do uso de faixas, bandeiras e instrumentos musicais nos jogos de futebol. Até o dia 25 de abril, data do próximo encontro, todas as torcidas organizadas deverão entregar ao Juizado Especial Criminal ou ao Grupamento Especial de Policiamento de Estádios - GEPE, instalados nas dependências do Estádio do Maracanã, cópias dos estatutos dessas instituições com o nome de seus diretores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.