Marcos Brindicci/Reuters
Marcos Brindicci/Reuters

Riquelme diz agora que Corinthians é favorito no duelo

Meia do Boca Juniors muda discurso e diz que equipe de Tite tem grandes chances no jogo da Libertadores

AE, Agência Estado

14 de maio de 2013 | 18h29

SÃO PAULO - Antes de começar o confronto das oitavas de final da Libertadores, o meia Riquelme disse ver o seu Boca Juniors em vantagem por já ter seis títulos continentais contra apenas um do Corinthians. Agora, porém, o astro argentino mudou um pouco discurso, apontando favoritismo corintiano no jogo desta quarta-feira, no Pacaembu, que definirá o classificado para as quartas de final.

No primeiro jogo do confronto, há duas semanas, em Buenos Aires, Riquelme não jogou, porque ainda estava se recuperando fisicamente de contusão muscular. Mesmo assim, o Boca Juniors venceu por 1 a 0 na Bombonera. Agora, o veterano astro de 34 anos está escalado para atuar nesta quarta-feira no Pacaembu, quando o time argentino precisa do empate para se classificar.

Na chegada a São Paulo, nesta terça-feira, Riquelme comentou sobre a vantagem corintiana na decisão no Pacaembu. "O Corinthians é favorito porque joga em casa, com o apoio da sua torcida. Sabemos que o estádio estará cheio e que será uma festa muito bonita", afirmou o jogador. "Sabemos que será muito difícil. Temos que controlar bem a bola para não deixar o Corinthians atacar."

Assim como tinha feito anteriormente, Riquelme voltou a elogiar os jogadores do Corinthians, em especial os volantes Ralf e Paulinho e os atacante Guerrero e Emerson. Mas não deixou de confiar na força do Boca Juniors para conseguir a classificação no Pacaembu, num confronto que repete a final da última edição da Libertadores - no ano passado, a vitória foi corintiana.

Com o retorno do seu principal astro, o técnico Carlos Bianchi pretende armar um esquema tático bem cauteloso para segurar o Corinthians no Pacaembu. Para a entrada do meia, ele resolveu tirar o atacante Martínez do time. Assim, a escalação do Boca Juniors deve ter Orion; Marín, Caruzzo, Burdisso e Clemente; Erbes, Somoza, Erviti, Sánchez Miño e Riquelme; Blandi.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBoca JuniorsRiquelme

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.