Risco de demissão não abala Bonamigo

Paulo Bonamigo vai mostrar nesta quarta-feira, diante do São Paulo, se é de fato um grande estrategista. Na véspera do clássico paulista pela Libertadores, o treinador do Palmeiras deu o primeiro passo. Começou o treinamento (secreto) mais cedo e manteve os portões da Academia de Futebol trancados até 16h30. Quando a imprensa teve acesso ao local, os jogadores já participavam de um simples ?rachão?.Segundo Bonamigo, o treinamento longe da imprensa, na verdade, não foi secreto. "Não tem nada de mistério, mas há momentos em que você precisa conversar um pouco longe das fotos e das câmeras e microfones. Não que isso vá fazer a diferença no jogo, mas foi uma conversa só nossa. Na véspera do jogo você conversa, orienta. Amanhã é um jogo em que não se pode errar", explicou.No seu discurso particular com os jogadores, nesta terça-feira, Bonamigo falou principalmente sobre o que significa um jogo de Libertadores. As palavras que ele usou, é óbvio, ele não iria repetir. Mas fez uma síntese de sua palestra."Libertadores! Essa é a palavra mágica. E esse é o jogo mais importante do ano para o Palmeiras. É o jogo para todo mundo se ajudar. Vencer interessa a todos nós. Aos jogadores, ao treinador, ao clube, à torcida e ao patrocinador. É um jogo em que o time vai precisar de superar", afirmou.Nem a pressão que se instalou sobre o time - e sobre ele próprio - parece assustar. Nesta terça-feira, Bonamigo simplesmente ignorou o risco de uma demissão precoce, um mês depois de ter sido contratado pelo Palmeiras. "Até prefiro que a pressão seja toda sobre mim. Pelo menos assim, o time ficará bem leve para fazer o seu trabalho amanhã", avisou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.