Rivais de longa data, Flamengo e Botafogo fazem semi

Equipes se enfrentam no Maracanã, às 16 horas deste domingo, por uma vaga na final da Taça Rio

Leonardo Maia, O Estado de S. Paulo

12 de abril de 2008 | 17h00

Desta vez não vale título. Ou vale? Flamengo e Botafogo - a grande rivalidade carioca dos últimos dois anos - se enfrentam numa das semifinais da Taça Rio, neste domingo, às 16 horas, no Maracanã. Ao vencedor, uma vaga na decisão do returno do Campeonato Carioca. Ao perdedor... bem, aí depende. Campeão da Taça Guanabara, o Flamengo já está garantido em uma eventual final e pode levar o título do Estadual por antecipação caso conquiste a Taça Rio. Para o Botafogo, só resta a vitória. "A obrigação é toda nossa", disse o capitão Lúcio Flávio. "O Flamengo já está na decisão e nós ainda buscamos a outra vaga". Para os rubro-negros, as ambições são ainda maiores. "Conversamos entre nós (jogadores) sobre a chance de sermos campeões em dois jogos", admitiu Fábio Luciano. "Queremos o título por antecipação, mas vamos precisar lutar muito para isso". Nem por isso os rubro-negros consideram que terão alguma vantagem por jogar mais tranqüilos, contra um Botafogo que terá que partir para cima. "Não estou preocupado com os problemas do Botafogo", disse o técnico rubro-negro, Joel Santana. "Minha equipe tem uma forma definida de atuar e não vai mudar". "Também temos a obrigação de vencer por vencer", decretou o capitão Fábio Luciano, que admite o cansaço da viagem ao Peru, no meio de semana, mas não quer usá-la como muleta. "Não podemos nos apoiar sobre isso". Os botafoguenses também têm seus problemas. O meia Lúcio Flávio sente dores musculares na coxa, mas garante que vai para o jogo. Outra interrogação do técnico Cuca diz respeito a manter o atacante Fábio, que teve boas atuações na ausência de Zé Carlos, no time titular. "Ainda tenho dúvida entre o Fábio e o Zé Carlos, mas o restante deverá ser o mesmo", disse o técnico alvinegro. Caso Fábio seja o escolhido, será o centroavante, com Jorge Henrique recuando para o meio-campo. Outro elemento a aumentar a expectativa para o clássico se refere às provocações e brigas recentes entre os clubes. O Flamengo conquistou a Taça Guanabara sobre o Botafogo, que reclamou da arbitragem na derrota por 2 a 1. Souza provocou comemorando gol com gesto de choro e o volante alvinegro Túlio partiu para a agressão verbal aberta. O atacante rubro-negro revidou na mesma moeda e os jogadores brigariam na partida seguinte, vitória botafoguense por 3 a 2 contra os reservas do rival. Souza, agora, estará em campo. "É uma outra partida. Falam muito por conta dos encontros anteriores mas não é por aí. Esperamos que não exista mais nada daquilo", pediu o meia alvinegro Lúcio Flávio. "Aconteceram algumas coisas ruins", amenizou Souza. "Exagerei no tom.  O Túlio é um profissional como eu e espero que a rivalidade seja vivida com paz dentro e fora de campo". "Tenho certeza que será um grande jogo de futebol. Gostaria que as duas equipes estivessem nas suas melhores condições físicas", desejou Joel.

Tudo o que sabemos sobre:
FlamengoBotafogoEstadual do Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.