Rivais do Brasil, Costa Rica e Suíça vencem; Sérvia decepciona

Rivais do Brasil, Costa Rica e Suíça vencem; Sérvia decepciona

Time da América Central venceu a Escócia por 1 a 0, sérvios perderam para Marrocos e suíços superaram os gregos

O Estado de S.Paulo

23 de março de 2018 | 19h32

Na estreia na Copa do Mundo, o técnico Tite precisa prestar atenção no lado direito da Suíça, de onde saem as principais jogadas ofensivas, mas uma marcação sob pressão na saída de bola do rival vai criar jogadas de perigo. Já no segundo jogo, diante da Sérvia, o Brasil pode aproveitar a lentidão dos zagueiros. No terceiro jogo, diante da Costa Rica, as preocupações principais da seleção brasileira serão furar a retranca e se marcar o atacante Bryan Ruiz.  

+ Brasil confirma amistosos contra Áustria e Croácia

Essas foram algumas das características que os rivais do Brasil apresentaram no amistosos desta sexta-feira. O grande resultado foi da Costa Rica, que venceu a Escócia fora de casa por 1 a 0; a Suíça venceu a Grécia fora de casa por 1 a 0 e a Sérvia decepcionou ao perder por 2 a 1 para Marrocos, por 2 a 1.

Os suíços mostraram uma característica que seguramente já está sendo observada por Tite: eles sempre saem jogando com a bola nos pés. Por um lado, o time fica vulnerável quando os defensores erram passes. Isso aconteceu no início do jogo, quando o atacante Fortunis roubou a bola na entrada da área e chutou colocado. A bola passou raspando. Por outro lado, sair jogando com a bola no chão, de pé em pé, mostra a qualidade técnica dos jogadores suíços - a maioria atua em grandes clubes da Europa.

Os erros defensivos foram um ponto fora da curva no time suíço, que sempre se caracterizou por uma defesa forte. Em 2006, a Suíça se tornou a primeira seleção na história dos Mundiais a ser eliminada sem perder nenhuma partida nem sofrer gols. Foram quatro jogos (três da fase de grupos mais um das oitavas de final). Em 2014, os suíços levaram a partida diante da Argentina até a prorrogação e perderam por 1 a 0.

Mesmo sem Shaqiri, a principal referência técnica, a equipe suíça tomou a iniciativa da partida e mostrou organização e disciplina tática. Ol ado forte é o direito, com o apoio do lateral Lichtsteiner. Por esse setor, criou as principais jogadas de ataque. Aos 40 minutos da etapa inicial, Embolo acertou bola na trave. No segundo tempo, Dzemaili fez um belo gol de voleio após cruzamento e garantiu a vitória.

Em Turim, com o apoio da torcida, Marrocos mostrou maior disposição desde o início da partida conta a Sérvia. Após falha da defesa sérvia, Boutaib foi derrubabo na área. Ziyech cobrou e marcou para a equipe africana, que está no Grupo B do Mundial, ao lado de Portugal, Espanha e Irã. 

A Sérvia conseguiu o empate aos 37 após um vacilo da zaga de Marrocos quando Tadic tocou na saída do goleiro Elkajoui. Mas Marrocos conseguiu desempatar ainda na etapa inicial, com um gol de Boutaib. Principal nome da equipe, o volante Matic, do Manchester United, teve atuação apagada. 

Em um jogo fraco tecnicamente, a Costa Rica conseguiu vencer a Escócia, em Glasgow, por 1 a 0. O destaque do jogo foi o atacante Bryan Ruiz, capitão e craque do time da América Central. Urena marcou o único tento do jogo, aos 14 minutos. A Costa Rica tem mais quatro amistosos até o Mundial, entre eles, adversários duros, como Inglaterra e a badalada Bélgica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.