Divulgação/ Chelsea
Divulgação/ Chelsea

Rivais investem em contratações para quebrar domínio de Liverpool e City no Campeonato Inglês

Chelsea foi quem mais gastou para obter reforços, seguido de Arsenal, Tottenham e Manchester United

Raul Vitor, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

11 de setembro de 2020 | 10h00

A temporada 2020/21 do Campeonato Inglês terá início neste sábado. Mais uma vez, Liverpool e Manchester City, que se revezam na primeira e segunda colocação do torneio há dois anos, são os favoritos ao título. No entanto, o restante do chamado Big Six, grupo formado pelos seis maiores clubes da Inglaterra que conta ainda com Arsenal, Chelsea, Manchester United e Tottenham, se prepara para atrapalhar a disputa dos dois últimos campeões. Tirando o United, essas equipes investiram forte na janela de transferências e apostam em novas contratações para tornarem seus elencos mais competitivos.

Dentre eles, o Chelsea, que teve sua permissão para atuar no mercado restabelecida pela Fifa, foi quem mais gastou dinheiro. Ao todo, o time gastou cerca de 200 milhões de libras (R$ 1,4 bilhão) para a aquisição de reforços. Foram três atletas para o sistema ofensivo e os outros três para o sistema defensivo. O clube londrino abriu suas portas para o brasileiro Thiago Silva, que deixou o PSG depois de oito temporadas.

Os atacantes contratados pelo Chelsea foram Kai Havertz, que chega do Bayern Leverkusen por cerca de 72 milhões de libras (R$ 502,5 milhões); Timo Werner, que vem do RB Leipzig e custou 47,7 milhões de libras (R$ 332,9 milhões); e Hakim Ziyech, que chega do Ajax por 36 milhões de libras (R$ 251,2 milhões). Já os zagueiros são: Ben Chilwell, do Leicester City e custou 45,2 milhões de libras (R$ 315,5 milhões); Malang Sarr, ex-Nice, e o brasileiro Thiago Silva, ex-PSG. Ambos não geraram despesas ao clube inglês.

"Estou muito feliz de me juntar ao Chelsea. Estou encantado de fazer parte desse time empolgante para a próxima temporada. Estou aqui para brigar por títulos", declarou Thiago Silva em sua apresentação. Ele era o capitão do PSG, de Neymar. Segundo a imprensa inglesa, o Chelsea ainda busca um goleiro para substituir o espanhol Kepa Arrizabalaga. O atual titular não transmite confiança ao treinador Frank Lampard em decorrência de suas atuações irregulares.

ARSENAL

O Arsenal, atual campeão da Copa da Inglaterra diante do Chelsea, focou em recrutar peças para o setor defensivo. Ao todo, são quatro jogadores na posição para reforçar o elenco do técnico Mikel Arteta: Gabriel Magalhães, ex-Lille, que custou cerca de 27 milhões de libras (R$ 188,5 milhões); William Saliba, que chega do Saint-Étienne por 27 milhões de libras (R$ 188,5 milhões); Pablo Marí, ex-Flamengo, que custou 7,2 milhões de libras (R$ 50,3 milhões); e o lateral Cédric, ex-Southampton, que chega sem custos.

O único investimento dos Gunners no setor ofensivo foi a contratação do meia-atacante William, que deixa o Chelsea após sete temporadas. O brasileiro veio de graça e assinou contrato válido por três anos. "Ele tem as características que eu preciso. É o tipo de jogador que, quando as coisas estão difíceis na partida, chama a responsabilidade, procura o jogo e coloca o time adversário em perigo", disse Arteta, sobre a chegada de Willian.

O Tottenham fez quatro contrações para a temporada 20/21, e espera ter melhores resultados. Trouxe o meio-campista Lo Celso, ex-Betis, que chega por 29,5 milhões de libras (R$ 200 milhões), o lateral-direito Matt Doherty, comprado por Wolves por 16,5 milhões de libras (R$ 113 milhões), o meio-campo, Pierre-Emile Höjbjerg, ex-Southampton, por 15 milhões de libras (R$ 104 milhões); e o goleiro Joe Hart, que chega do Burnley sem custos.

Ao contrário de seus colegas do Big Six, que apostaram em novas contratações, o Manchester United acredita na força de seu elenco. O clube contratou apenas um reforço: o meia Donny van de Beek, ex-Ajax, por cerca de 35 milhões de libras (R$ 245 milhões). No entanto, há uma explicação para o baixo investimento. Na temporada passada, o United foi um dos clubes que mais desembolsaram em contratações. Ao todo, 192,6 milhões de libras (R$ 1,3 bilhão) foram direcionados para a aquisição de reforços, como Harry Maguire, Bruno Fernandes e Aaron Wan-Bissaka.

CONFIRA A TABELA DO INGLÊS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.