Norberto Duarte/AFP
Norberto Duarte/AFP

Paulistas encaram grupos distintos na Libertadores

Confira uma análise dos adversários de Corinthians, Palmeiras e São Paulo na primeira fase na competição continental

DANIEL BATISTA E RAPHAEL RAMOS, O Estado de S.Paulo

25 de dezembro de 2015 | 07h00

Corinthians, Palmeiras e São Paulo terão desafios heterogêneos na Libertadores do ano que vem. Equipes tradicionais e debutantes, altitude, estádios acanhados e até deserto estão no caminho do trio paulista. Embora tenham adversários bem distintos, em algo o trio se assemelha: o respeito dos rivais.

Isso fica claro, por exemplo, pelas declarações do gerente esportivo do Cesar Vallejo, Jean Ferrari. O novo time peruano, fundado em 1996, joga pela segunda vez a competição continental – caiu na primeira fase em 2013 – e torceu para evitar o confronto com o São Paulo. “Era a equipe que não queríamos enfrentar, pois é um time brasileiro com prestígio e renome mundial. Pela primeira vez na história, vamos receber uma equipe deste porte em Trujillo”, disse o cartola.

O time ficou em terceiro lugar do Torneio Descentralizado, uma variação do Campeonato Peruano. Caso se classifique, o São Paulo cai no grupo 1, onde terá o atual campeão River Plate, além do The Strongest e Trujillanos. O River vai para sua 32ª participação na competição e busca o quarto título. O vice-campeão mundial aparece como o principal adversário do São Paulo. Já o Strongest tem como arma a altitude de 3.660m de La Paz, sempre um terror para os adversários. Equipe mais antiga em atividade na Bolívia, o time tem como melhor resultado avançar para a segunda fase duas vezes.

Outro novato no caminho do time tricolor pode ser o Trujillanos. Fundado em 1981, a equipe venezuelana é vice-campeã nacional e chega em sua terceira participação na Libertadores. Recentemente, aumentou a capacidade de seu estádio de 14 mil para 25 mil torcedores, visando o torneio continental.

No grupo 2, o Palmeiras terá pela frente times mais tradicionais. O cabeça de chave é o Nacional, atual campeão uruguaio e que vai para sua 20ª participação consecutiva na competição – foram 42 no total, sendo que já conquistou o título três vezes: 1971, 80 e 88. O Rosario Central é outro time que aparece forte. Essa será sua décima participação, chegou na semifinal de 2001 e só está na competição porque o Boca Juniors ganhou o Campeonato Argentino e a Copa da Argentina, e deixou a vaga da Copa para o vice, o Rosario. 

O terceiro adversário sai do confronto entre Universidad do Chile e River Plate, do Uruguai. A equipe chilena, que constantemente cruza com brasileiros na competição, já foi semifinalista quatro vezes (1970, 96, 2010 e 2012) e é a favorita para entrar no grupo, diante do modesto clube, que disputa pela primeira vez a Libertadores. A equipe ficou em terceiro no último Campeonato Uruguaio.

O campeão brasileiro Corinthians é o cabeça de chave do grupo 8 e tem como principal adversário o Cerro Porteño, que se classificou após conquistar o Apertura do Paraguaio e conta com dois atletas conhecidos dos paulistas. O atacante Ortigoza, que defendeu o Palmeiras em 2009, e fez 17 gols na última edição do nacional, e o zagueiro Diego Lugano, que pode voltar ao São Paulo.

O modesto Cobresal chega como campeão do Clausura do Chile e disputará pela segunda vez a Libertadores. Teoricamente, é o time mais fraco do grupo, independente de quem passe na pré-Libertadores. O destaque é o técnico Dalcio Giovagnoli, responsável pela campanha histórica no campeonato nacional. 

Na pré-Libertadores, o Independiente de Santa Fé, atual campeão da Copa Sul-Americana, é o favorito diante do Oriente Petrolero, terceiro lugar do campeonato boliviano e que chegou as quartas de final em 2010. 

Confira os destaques dos adversários dos paulistas

Grupo 1 - Rivais do São Paulo

Cesar Vallejo-PER (Pré-Libertadores)

Time fundado em 1996, enfrenta pela primeira vez um grande clube do continente em seus domínios. Os destaques do time são Libman, Cháves e Millán.

River Plate-ARG

Atual campeão da competição e favorito no grupo. Os destaques são Sánchez, Mora e Maidana.

The Strongest-BOL

Tem a atitude de 3.660m como ponto forte em casa. Atual vice-campeão boliviano, aposta em Pablo Escobar e Chumacero. 

Trujillanos-VEN

Fundado em 1981, é o vice-campeão venezuelano e tem como estrelas, Herrera e Sosa.

GRUPO 2 - Rivais do Palmeiras

Nacional-URU

Campeão uruguaio, conta com o experiente atacante Loco Abreu como astro. Fucile, ex-Santos, também está na equipe.

Rosario Central-ARG

Vice-campeão da Copa da Argentina, a equipe espera surpreender e aposta em Cervi e Larrondo para avançar de fase.

Universidad do Chile

Conhecido dos brasileiros, os chilenos precisam passar da pré-Libertadores e contam com Carmona, Lorenzetti e Canales.

River Plate-URU

Debutante na competição, o modesto time uruguaio tem como destaques, Montelongo e García. 

GRUPO 8 - Rivais do Corinthians

Cerro Porteño-PAR

Principal adversário do Corinthians no grupo, campeão paraguaio conta com Ortigoza e Bonet para ir longe no torneio.

Cobresal-CHI

Modesto clube chileno, tem seu estádio no meio do deserto e o destaque é o atacante Ever Cantero e o técnico Dalcio Giovagnoli, ídolo do clube.

Independiente Santa Fé-COL

Campeão da Copa Sul-Americana, deve entrar no grupo. Castellanos e Seijas são os destaques.

Oriente Petrolero-BOL

Terceiro lugar do Campeonato Boliviano. Saucedo e Raldes são as referências.

 


Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.