Rivaldo: é cedo para falar em 2006

Rivaldo voltou a ser Rivaldo. A frase de Carlos Alberto Parreira reflete o entusiasmo do atacante do Milan na seleção: após a boa atuação no domingo, contra a Colômbia, o craque espera, no mínimo, ter o mesmo desempenho hoje, com o Equador. Nesta rápida entrevista exclusiva ao Estado, enquanto caminhava pelos longos corredores do Hotel Tropical, ao lado de visita ilustre, o filho Rivaldinho, de 8 anos, o ex-jogador do Barcelona afirma que não quer se precipitar sobre a possibilidade de participar do Mundial de 2006 e cita Alex, Kaká e Diego como fortes candidatos na disputa pela posição que hoje ocupa na seleção.Com alegria incontida por estar ao lado do pai, Rivaldinho aposta em vitória de 3 a 0 do Brasil, com dois gols de seu ídolo. ?Não sei quem poderia marcar o terceiro?, diz.Leia mais no Estadão

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.