Rivaldo: interferência de Berlusconi

O meia-atacante Rivaldo revelou nesta quarta-feira que sua transferência para o Milan teve a interferência direta do primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi. ?Falei com ele várias vezes durante as negociações e quero agradecê-lo pela confiança que depositou em mim?, disse o brasileiro, em entrevista coletiva, hoje, que marcou sua apresentação oficial no clube milanês. Muito antes de chegar à chefia do governo, no ano passado, Berlusconi já tinha sua vida ligada ao clube. Magnata do setor de comunicações, o primeiro-ministro contribuiu de forma decisiva para transformar o time em um dos mais poderosos da Europa. Na década de 80, foi o responsável pela contratação de grandes jogadores para a equipe milanesa. Rivaldo, 30 anos, assinou contrato de três anos com o Milan e disse que sonha alto. Quer conquistar títulos importantes (lembrou que não conquistou nenhum título importante nos últimos dois anos com o Barcelona) e aposta na força da equipe. ?Temos um time muito bom e tenho certeza que o Milan fará uma ótima temporada?. Além de Rivaldo, o Milan contratou o atacante dinamarquês Jon Dahl Tomasson (junto ao Feyenoord, da Holanda) e o meio-campista holandês Clarence Seedorf. Rivaldo deverá passar por uma revisão médica e inicia hoje mesmo os treinamentos com os demais companheiros Vice-artilheiro do Brasil na Copa 2002 (5 gols), Rivaldo usará a camisa número 11. A 10 será do português Rui Costa, que tem mais tempo de clube. Sua estréia está prevista para o dia 18 de agosto, no clássico contra a Juventus, no estádio Giuseppe Meazza, na disputa do Troféu Luigi Berlusconi. No dia 21, Rivaldo volta ao Brasil para a partida de entrega das faixas do pentacampeonato mundial, quando a seleção brasileira enfrenta o Paraguai, em Fortaleza.

Agencia Estado,

07 Agosto 2002 | 10h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.