JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Rivaldo se afasta do Mogi Mirim e enfrenta batalha jurídica

Ex-jogador e presidente do clube deixa a cidade e acompanha à distância processo movido contra ele

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

20 de abril de 2018 | 07h00

Pentacampeão pela seleção brasileira, o ex-meia Rivaldo se afastou do Mogi Mirim por decepção e cansaço. O jogador aposentado deixou a residência na cidade para se mudar para Orlando, nos Estados Unidos, mas se defende na Justiça de um processo referente à época em que esteve no comando do clube, entre novembro de 2008 e junho de 2015.

+ Corinthians tem prejuízo de R$ 35 milhões em 2017

+ Presidente do Santos se diz surpreso com denúncia de abuso

A principal ação é movida por três sócios do clube, que pedem a anulação da transferência para o nome de Rivaldo de dois terrenos que eram do Mogi Mirim. A cessão feita em 2013 foi uma forma de quitar uma dívida com o ex-jogador, que afirma ter investido mais de R$ 15 milhões na agremiação.

Segundo o advogado de Rivaldo, Betellen Dante, a transferência não é ilegal e o jogador aceitou considerar a dívida como resolvida ao receber terrenos que têm soma inferior ao valor total de pendência. "Entendemos que não houve nenhum tipo de irregularidade. O Rivaldo na época não era presidente, pois estava licenciado e ligado ao clube apenas por uma questão estatuária", disse.

O representante de Rivaldo afirma que durante a gestão do jogador, o Mogi Mirim tinhas as finanças em dia e conseguiu ter resultados expressivos em campo. A equipe foi a última do pentacampeão antes da aposentadoria, em 2015. 

Rivaldo chegou à cidade do interior paulista em 1992, aos 20 anos. Após deixar a presidência, o pentacampeão passou a evitar contatos com Mogi e manifestou a pessoas próximas estar decepcionado por não sentir o projeto valorizado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.