Rivalidade marca jogo do Mineirão

O clima é de rivalidade total no confronto entre os brasileiros por uma vaga para a fase semifinal da Taça Libertadores da América. Em Belo Horizonte, a violenta polícia montou um esquema para o jogo de alto risco no Mineirão, escalando 400 PMs para vigiar os torcedores. Os 66 mil ingressos colocados à venda, em sua maioria por R$ 2, garantem a pressão a que os jogadores do Palmeiras serão submetidos pela torcida.Luiz Felipe Scolari, técnico do Cruzeiro, e Celso Roth, do Palmeiras, apostam os empregos no confronto das 21h40 de hoje. Quem perder entra de férias forçada.O clima é de rivalidade total no confronto entre os brasileiros por uma vaga para a fase semifinal da Taça Libertadores da América. Em Belo Horizonte, a violenta polícia montou um esquema para o jogo de alto risco no Mineirão, escalando 400 PMs para vigiar os torcedores. Os 66 mil ingressos colocados à venda, em sua maioria por R$ 2, garantem a pressão a que os jogadores do Palmeiras serão submetidos pela torcida.Luiz Felipe Scolari, técnico do Cruzeiro, e Celso Roth, do Palmeiras, apostam os empregos no confronto das 21h40 de hoje. Quem perder entra de férias forçadas. Por audiência, as tevês bancaram os geradores que manterão as luzes do estádio acesas. O Palmeiras entrará em campo tentando repetir a estratégia que eliminou o próprio Cruzeiro na Mercosul de 2000. Aceitando a maior força do adversário, os paulistas vão tentar ganhar o jogo na paciência e nos contragolpes. "Não vamos dar espaço na intermediária. Não vamos deixá-los ditar o ritmo do jogo", garante Galeano.Para esse jogo importantíssimo, o Palmeiras terá Alex jogando no sacrifício. O tornozelo esquerdo do jogador está bastante inchado, e ele treinou ontem com o restante da equipe no CT do América sentindo dores. "Não vou jogar nas minhas condições ideais, mas a dor é suportável,", resume o meia. Mesmo contundido, Alex é fundamental no esquema montado por Roth. Caberá a ele e a Lopes acionar o time nos contragolpes. Preferencialmente pela direita. Roth acredita que, como no Parque Antártica, no empate por 3 a 3, o argentino Sorín apoiará o Cruzeiro pela esquerda. E esse espaço vazio Basílio deverá explorar.Voltar ao Mineirão é o "doping" que o treinador espera que funcione para acordar Fábio Júnior. Ele foi confirmado como titular, apesar de Tuta estar treinando muito melhor. "Minha fase não está boa, mas aqui em Minas joguei o meu melhor futebol". E a entrada de Fernando no lugar do suspenso Magrão deixará o Palmeiras mais forte na marcação.Um novo empate leva a definição da classificação para os pênaltis. Quase todos os jogadores ficam animados com essa possibilidade, já que Marcos é um grande goleiro e o time tem ótimos cobradores. Mas há uma voz contrária: "Eu acho que o trauma da perda da ?Libertadores? ainda é grande demais. Eu não quero os pênaltis", avisa Alex.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.