Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Rivellino ressalta prazer de tocar taça da Copa e diz: 'A de 1970 era mais bonita'

Tricampeão mundial esteve em São Paulo na quinta-feira para apresentar o troféu ao público

Flavia Alemi, O Estado de S. Paulo

30 de maio de 2014 | 06h39

SÃO PAULO - Apresentada aos paulistanos pelas mãos do tricampeão mundial Roberto Rivellino, a taça da Copa do Mundo aterrissou em São Paulo nesta quinta-feira e já recebeu a visita de milhares de torcedores. Exposto no Shopping Metrô Itaquera, a poucos metros da Arena Corinthians, palco da abertura do Mundial, o troféu foi erguido, beijado e agarrado pelo ex-jogador.

"Fico feliz de ter o privilégio de tocar na taça. Tive o prazer de beijar aquela taça em 1970 (Jules Rimet), que eu considero ainda mais bonita que essa, principalmente por que ela era nossa", disse Rivellino. Ao contrário da Taça Fifa, a Jules Rimet ficaria definitivamente com o país que a erguesse por três vezes. Foi o que aconteceu na Copa do México, quando o Brasil foi tricampeão.

Com olhos marejados ao se lembrar da conquista de 1970, Rivellino fez projeções para a seleção brasileira atual, considerada uma das favoritas. "Hoje não é a melhor seleção, mas definitivamente é uma forte candidata por causa de toda a tradição em Copas do Mundo", ressaltou.

Para trilhar o caminho até a taça, Rivellino acredita que é necessário fazer uma boa estreia contra a Croácia, no dia 12 de junho. "É um jogo difícil, enroscado. A gente nunca sabe o que vai acontecer em Copa do Mundo. Futebol é feito de momento e Copa do Mundo é tiro curto. É preciso ganhar – e ganhar bem – para dar confiança aos jogadores e trazer a torcida", constatou o ex-meia da seleção.

TOUR DA TAÇA

Quem comparecer ao Shopping Metrô Itaquera nos próximos dias vai se deparar com uma grande estrutura montada para recepcionar os torcedores. Além da atração principal, a taça, os visitantes poderão se divertir com brincadeiras como chutes a gol, pebolim humano e estilingue humano, além da apresentação de dançarinos e futebol freestyle.

Para entrar no evento, é necessário trocar quatro tampas de garrafa de qualquer produto Coca-Cola participante da promoção por um vale-ingresso. O público é, em sua maioria, composto por crianças em excursão escolar e famílias.

O evento tem horário de funcionamento das 9h às 21h, até sábado. No domingo, último dia da exposição, a visitação termina às 12 horas, devido à partida entre Corinthians e Botafogo, na Arena Corinthians.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.