Thomas Peter/Reuters
Thomas Peter/Reuters

River alerta para qualidade do Sanfrecce Hiroshima na semifinal

Argentinos tratam o Mundial de Clubes como a 'cereja do bolo'

Estadão Conteúdo

15 de dezembro de 2015 | 11h53

Antes de uma possível partida contra o Barcelona pelo Mundial de Clubes, o River Plate sabe que precisa passar pelo time da casa, como alertou nesta terça-feira o técnico Marcelo Gallardo. Os campeões da Copa Libertadores vão enfrentar nesta quarta-feira o Sanfrecce Hiroshima, uma equipe que já ganhou dois jogos no torneio, sem sofrer sequer um gol.

"Eles são o melhor time do Japão", disse Gallardo. "Eles são muito bons em controlar a bola, eles jogam com muita qualidade e são extremamente resistentes", completou o treinador, atento para o duelo em Osaka.

Após superar o Auckland City, o representante da Oceania, por 2 a 0 na última quinta-feira e bater o Mazembe, o campeão africano, por 3 a 0 no domingo, o Sanfrecce agora tentará se tornar o primeiro clube asiático a chegar à decisão do Mundial de Clubes.

O River Plate, que venceu o torneio em 1986, quando ele não era organizado pela Fifa, esteve no Japão em agosto e bateu o Gamba Osaka 3 a 0 pela Copa Suruga, entre os campeões da Copa Sul-Americana e da Copa da Liga Japonesa.

"Eu tenho visto o crescimento e desenvolvimento incrível do futebol japonês", disse Gallardo. "Quando jogamos aqui em agosto o adversário era rápido e tecnicamente qualificado. Espero que o Hiroshima esteja no mesmo nível".

O vencedor do jogo de quarta-feira enfrentará o Barcelona ou o campeão asiático Guangzhou Evergrande na final, marcada para 20 de dezembro. "Ao longo do último ano, temos conquistados vários títulos", disse Gallardo. "Estar no Mundial de Clubes é a cereja do bolo".

Embora o Sanfrecce tenha a vantagem de ser o time local nesta quarta-feira, um grande número de torcedores do River Plate viajou ao Japão para apoiar o time. "Isso mostra que temos torcedores apaixonados e nós vamos nos alimentar disso", disse Gallardo. "Estamos representando a Argentina".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.