Divulgação
Divulgação

River Plate apresenta os ídolos Lucho González, Saviola e Pablo Aimar

Jogadores retornam ao clube e já reforçam time na Libertadores

Estadão Conteúdo

02 de julho de 2015 | 18h45

Se o Boca Juniors surpreendeu nesta janela para transferências e acertou o retorno de Carlitos Tevez, o River Plate deu a resposta nesta quinta-feira com a volta de não apenas um, mas três ídolos do clube. Os meias Lucho González e Aimar e o atacante Saviola foram confirmados como reforços e oficialmente apresentados durante esta tarde.

Os três chegam para melhorar o elenco que disputa a semifinal da Libertadores, contra o Guaraní-PAR. Eles viveram o auge de suas carreiras há cerca de uma década, mas contam com a idolatria da torcida e com o passado de sucesso no clube para embalar.

Dos três, Saviola talvez tenha sido o que chegou mais longe no futebol europeu. Revelado no próprio River, atuou por Barcelona e Real Madrid, além de Monaco, Sevilla, Benfica, Málaga e Olympiakos. Na última temporada, vestiu a camisa do Verona, mas foi reserva durante a maior parte da trajetória.

"Volto à minha casa. Me criei aqui. Sei como vive o dia a dia. O torcedor do River se fez mais torcedor depois do rebaixamento, está mais apaixonado. Quanto ao futebol daqui, mudou muito. É mais físico. Temos que dividir mais bolas", declarou na apresentação.

Também formado na base do River, Aimar era uma das grandes esperanças do futebol argentino quando foi para o Valencia em 2000, mas nunca correspondeu às altíssimas expectativas. Também ficou longe de fracassar e teve uma carreira de sucesso na Europa, com passagens por Zaragoza e Benfica. Estava na Malásia, no Johor.

"As sensação são muito boas, de me sentir somando a uma equipe, de ganhar coisas. Nossa tarefa é subir neste trem, mas não será fácil. Temos que dar boas-vindas aos mais jovens, está chegando uma geração fantástica", comentou.

Dos três, Lucho González é o único que não foi formado no River. Saiu da base do Huracán, mas chegou ao Monumental de Nuñez ainda jovem, em 2002. Lá, atuou por três anos, antes de ir para o Porto. Defendeu ainda o Olympique de Marselha e voltou ao Porto antes de ser negociado para o Al-Rayyan, do Catar, onde estava.

"Somos conscientes das competições e dos objetivos, viemos para ajudar. Nos preparamos da melhor forma para estar à altura. Estamos mais velhos, sabemos, mas a vontade e o desejo são os mesmos. De estar à altura e trazer o que puder ao time", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.