Noberto Duarte/AFP
Noberto Duarte/AFP

River Plate bate Guaraní-PAR e encaminha vaga às quartas da Libertadores

Scocco, no primeiro tempo, e Larronco, na segunda etapa, fizeram os gols dos argentinos em Assunção

Estadão Conteúdo

05 de julho de 2017 | 00h06

Assim como fez o Grêmio contra o Godoy Cruz na Argentina, o River Plate se deu bem na partida de ida das oitavas de final da Copa Libertadores e venceu como visitante. Nesta terça-feira, o time argentino enfrentou o Guaraní, do Paraguai, no estádio Defensores del Chaco, em Assunção, e ganhou por 2 a 0, levando boa vantagem para o duelo da volta. Os gols foram dos atacantes Scocco, no primeiro tempo, e Larronco, na segunda etapa.

Com mais tranquilidade no confronto, o River Plate receberá o Guaraní-PAR no dia 8 de agosto, no estádio Monumental de Núñez, em Buenos Aires. O time argentino poderá perder por um gol de diferença para avançar. Os paraguaios precisarão ganhar por dois ou mais gols de vantagem. Um novo 2 a 0, para o Guaraní-PAR, levará a decisão para a disputa por pênaltis. Quem passar pegará o vencedor do duelo entre Atlético Mineiro e Jorge Wilstermann, da Bolívia.

Em campo, o River Plate não teve problemas para ganhar. Mas fora dele a polêmica continua. Nesta terça-feira, poucas horas antes do início do jogo, a Conmebol anunciou que vai realizar exames antidoping em todos os jogadores do elenco do clube argentino. A data para a realização dos testes não foi definida, mas os atletas estão desde então convocados.

"A Unidade de Antidoping da Conmebol notifica o Club Atlético River Plate que todos os seus jogadores foram selecionados para a realização de controles dirigidos em competição", afirmou um trecho do comunicado oficial emitido pela entidade sul-americana.

Esse é o primeiro posicionamento oficial da Conmebol após a notícia de que Lucas Martínez e Camilo Mayada haviam sido flagrados no antidoping pelo uso de OXA B12, um relaxante muscular recentemente adicionado à lista de itens proibidos, em jogos da fase de grupos da Libertadores contra o Emelec, do Equador, e Melgar, do Peru.

Até o momento houve a confirmação do resultado positivo de doping apenas nos testes de Lucas Martínez e Camilo Mayada. Mas a imprensa argentina diz que o atacante Driussi e outros sete jogadores também fizeram uso de substâncias ilegais.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolRiver PlateLibertadores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.