River Plate elimina Botafogo de forma inacreditável

Com dois a menos, time argentino se classificaça às quartas da Sul-Americana com gol aos 47 do 2.º tempo

Sílvio Barsetti, Estadão

27 Setembro 2007 | 22h45

O Botafogo foi eliminado da Copa Sul-Americana de forma incrível, na noite desta quinta-feira, em Buenos Aires. O time vencia o River Plate por 2 a 1 até os 28 minutos do segundo tempo e tinha a vantagem de um homem a mais em campo. Mas a equipe carioca sofreu um apagão e levou mais três gols - o último, nos acréscimos. Resultado: River Plate 4 a 2. Se o Botafogo perdesse por 3 a 2, estaria classificado às quartas-de-final da Sul-Americana por ter derrotado os argentinos por 1 a 0, no Rio.  Veja também: Calendário / Resultados  A torcida no Monumental de Nuñez foi ao delírio com a reação do time da casa. E quem mereceu todos os elogios foi o atacante Falcão Garcia, autor de três gols. O River Plate jamais esmoreceu e mesmo quando o Botafogo marcou 2 a 1, continuou em busca dos gols. River Plate4Carrizo; Ferrari, Sanchez, Lussenhoff          e Villagra      (Aelaira); Fernandez, Ahumada    , Belluschi e Ortega; Rios e FalcãoTécnico: Daniel PassarellaBotafogo2Max    ; Renato Silva    , Juninho e Alex    ; Joilson (Alessandro), Túlio, Leandro Guerreiro, Lúcio Flávio (Luciano Almeida) e Zé Roberto        ; Jorge Henrique e Dodô (Reinaldo)Técnico: CucaGols: Lúcio Flávio, aos 10, e Falcão Garcia, aos 31 minutos do primeiro tempo. Dodô, aos 21, Falcão Garcia, aos 28 e 47, e Rios, aos 33 minutos do 2º tempoÁrbitro: Carlos Amarilla (PAR)Renda: Não informadoPúblico: Não informadoEstádio: Monumental de Nuñez No instante em que o Botafogo fez o segundo gol, por meio de Dodô, boa parte do público deixou o estádio. É que o River Plate precisaria de mais três para assegurar a vaga. Além disso, a equipe comandada por Daniel Passarella já havia perdido Lussenhoff e Ahumada, expulsos. No primeiro tempo, Zé Roberto, do Botafogo, também recebeu cartão vermelho.  O goleiro Max fez três defesas muito difíceis na partida e tinha tudo para voltar ao Rio como herói da torcida do Botafog o. Mas falhou no gol de empate (2 a 2), num chute distante de Falcão Garcia. Depois desse lance, o Alvinegro ainda teve duas oportunidades para definir o jogo, em contra-ataques. Errou nas finalizações. Rios, num arremate, bonito, marcou o 3 a 2. E, de cabeça, Falcão Garcia fechou o placar aos 47 minutos.  O árbitro paraguaio Carlos Amarilla fez vista grossa em alguns lances e deixou de marcar pelo menos um pênalti a favor do River Plate. No final do jogo, os argentinos comemoravam como se a vitória valesse um título. Aos botafoguenses, restava o choro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.