River Plate está na final da Sul-Americana

O São Paulo honrou a camisa, jogou com raça, venceu o River Plate por 2 a 0, nesta quarta-feira, no Morumbi, mas acabou eliminado da Copa Sul-Americana nos pênaltis (4 a 2 para os argentinos), em jogo que teve seis jogadores expulsos. Apesar da desclassificação, os são-paulinos deixaram o campo aplaudidos pelos mais de 35 mil torcedores que foram ao estádio e reconheceram a força de vontade dos atletas. O resultado praticamente encerra o ano para a equipe paulista, que, agora, só tem de cumprir tabela nas últimas duas rodadas do Campeonato Brasileiro ? já garantiu vaga na Libertadores de 2004 e não tem mais nenhuma aspiração. O adversário do River na final da Sul-Americana sairá do confronto entre Atlético Nacional de Medellín e Cienciano, do Peru. Os peruanos venceram a primeira partida por 2 a 1, em Medellín, e jogam, nesta quinta-feira, pelo empate, em casa. O duelo entre argentinos e brasileiros ratificou a hegemonia dos rivais da América do Sul na atual temporada. Nenhum time do País conseguiu passar por um argentino em 2003. O Corinthians foi eliminado da Libertadores pelo mesmo River. Santos e Paysandu caíram contra o Boca Juniors. A seleção argentina também se deu melhor. Faturou o Sul-Americano Sub-20 e o Pan-Americano. O Brasil ficou com o vice em ambos. Fortes emoções ? O São Paulo mudou o esquema em relação aos últimos jogos. Entrou em campo com dois atacantes, Luís Fabiano e Diego Tardelli, e, desde o início, tentou marcar a saída de bola do adversário. Afinal, precisava reverter a vantagem do River, que havia vencido, na semana passada, por 3 a 1, em Buenos Aires. Os são-paulinos teriam de ganhar por três gols de diferença para avançar para a final ou por dois de vantagem para levar a decisão para os pênaltis. O time brasileiro começou a partida em alta velocidade, mas, aos poucos, os argentinos passaram a equilibrar as ações. Levaram perigo em alguns contra-ataques. Em dois deles, Rogério Ceni evitou o gol. O São Paulo buscava o gol em chutes de longa distância, principalmente com Fábio Simplício, mas errava na pontaria. As emoções começariam para valer no segundo tempo, que foi eletrizante. Depois de duas ótimas oportunidades ? uma com Gustavo Nery e outra com Luís Fabiano ?, a equipe da casa abriu o placar. Rogério cobrou falta, a bola bateu na barreira e sobrou para Rico, que entrara no lugar de Adriano, marcar. Logo em seguida, Diego Tardelli acertou belo chute de fora da área e ampliou o placar. Faltando 15 minutos para o fim, os times preferiram não se arriscar tanto e esperaram pelos pênaltis. Os argentinos foram mais felizes. Souza e Lugano desperdiçaram suas cobranças, enquanto os adversários tiveram 100% de aproveitamento. Rivalidade - A velha rivalidade entre brasileiros e argentinos provocou novamente confusão nesta quarta-feira no Morumbi. Assim que o segundo tempo terminou, os jogadores se agrediram. Houve pancadaria para todos os lados e quatro atletas acabaram expulsos. O tumulto começou na metade do segundo tempo, quando Rico marcou o primeiro gol. Os são-paulinos tentaram buscar rapidamente a bola dentro do gol para que o jogo recomeçasse, mas os atletas do River fizeram de tudo para impedi-los. Começou, então, um festival de empurrões dos dois lados. Roberto Rojas entrou em campo para tirar seus jogadores e acabou sendo expulso. Nos acréscimos, Ameli e Rico já haviam sido expulsos ao dividirem uma bola de maneira violenta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.