Rubens Chiri/São Paulo FC
Rubens Chiri/São Paulo FC

River Plate trabalha em silêncio para repatriar Pratto, diz jornal

Estafe do atacante são-paulino diz que volta à seleção argentina poderia motivar transferência

O Estado de S.Paulo

22 de dezembro de 2017 | 12h13

O interesse do River Plate no atacante Lucas Pratto, do São Paulo, foi destaque no jornal argentino Olé, desta sexta-feira. Segundo a publicação, o clube comandado pelo técnico Marcelo Gallardo trabalha em silêncio para fechar o negócio.

+ Lugano revela frustração por reserva no São Paulo: 'Esforço tremendo para entender'

+ São Paulo e Cruzeiro não se acertam, e Hudson se despede da torcida celeste

De férias na Argentina, o jogador confirmou que pensa em voltar ao seu país natal para ficar mais próximo de sua filha, Pia: "Sempre penso em voltar, também por questões familiares, coloca muitas coisas na balança."

 

Quem também falou ao jornal foi o empresário Gustavo Goni. O cartola disse que a possibilidade de voltar à seleção argentina e, consequentemente, disputar a Copa do Mundo da Rússia seria outro forte  motivo para o negócio acontecer.

"Um dos sonhos dele é jogar a Copa do Mundo. Não deu certo nos outros clubes em que atuou, e ele chegou ao São Paulo com essa ideia, mas o projeto não saiu como pensava. O ano dele foi bom, mas não excelente como os últimos..."

 

Na última terça-feira, Pratto já havia falado na possibilidade de ir para o River Plate, mas apenas se o São Paulo estivesse disposto a negociá-lo. "Se o São Paulo estiver aberto a negociar, eu também colocarei as coisas na balança", disse Pratto. "E aí verei o que é melhor para mim. Se o River quer negociar, precisará chamar o São Paulo e negociar. Eu respeito muito o clube (São Paulo), não posso dizer que quero ir, mas me seduz o fato de o River querer me contratar. É uma questão entre os clubes. O que sei é aquilo que ouço da mídia."

O São Paulo detém 50% dos direitos econômicos de Pratto, negociados no ano passado, quando pagou  6,2 milhões de euros (cerca de R$ 20,7 milhões) ao Atlético-MG pelo jogador. Outros 45% pertencem ao Atlético-MG, ex-clube do atleta, e 5% pertencem a empresários. No mês passado, após o atleta ter sido sondado pelo Cruzeiro, o presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, disse que o clube não cogita negociar Pratto. O Estado apurou que ainda não houve nenhuma proposta do River para tentar tirá-lo do São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.