Jaiver Barbancho/Reuters
Jaiver Barbancho/Reuters

River x Boca: escalações confirmadas para a final da Libertadores em Madri

Schelotto escala Villa e Benedetto no ataque e Gallardo encerra mistério em time que inicia jogo no Santiago Bernabéu

O Estado de S.Paulo

09 de dezembro de 2018 | 16h42

Hoje, sim! A grande decisão da Copa Libertadores vai acontecer neste domingo: deu tudo certo com a preparação para o jogo entre River Plate e Boca Juniors, e as equipes argentinas farão a final mais esperada da história da América do Sul com times titulares já confirmados. O jogo começa às 17h30 (de Brasília).

Ao contrário do que aconteceu no último dia 24, em Buenos Aires, desta vez os ônibus dos dois times chegaram sem qualquer tipo de problema ao estádio Santiago Bernabéu, em Madri. Torcedores das duas equipes foram às arquibancadas em clima amistoso, de acordo com a imprensa local.

O técnico Marcelo Gallardo, que fez mistério no último treino do River na Espanha, neste sábado, decidiu por uma escalação mais conservadora. Sem contar com o atacante Scocco, ex-Internacional, o ex-meia e camisa 10 do próprio time  e integrante da seleção argentina escolheu o ex-são-paulino Lucas Pratto para formar o ataque com o meia Ponzio, que voltou de lesão, confirmado para iniciar o confronto - ele não teria condições de jogo se a final fosse no último dia 24.

Já Guillermo Schelotto, treinador do Boca, decidiu manter a formação com dois atacantes. Especulava-se que Dario Benedetto, destaque da semifinal contra o Palmeiras com três gols em dois jogos, fosse o titular por voltar à boa fase. O técnico parece ter ouvido os pedidos de imprensa e torcida, e decidiu colocá-lo junto a Villa no comando do ataque, deixando o ex-cruzeirense Ábila no banco junto com o ex-corintiano Tevez e Zárate, ex-Lazio, Inter de Milão e West Ham.

AGORA, VAI!

O superclássico entre Boca Juniors e River Plate, que tinha ares de "maior clássico do mundo" e "maior final da história da Libertadores", sofreu com problemas desde o primeiro confronto.

Marcado para às 18 horas (de Brasília) do dia 10 de novembro na Bombonera, estádio do Boca, chegou a ser atrasado por causa de uma fortíssima chuva que caiu em Buenos Aires desde o dia anterior e posteriormente, teve de ser adiado para o domingo. Iniciado às 17 horas do dia 11, então, terminou em 2 a 2 em uma partida eletrizante e bastante aberta do começo ao fim.

As expectativas estavam altas para o segundo jogo da decisão, originalmente agendado para o dia 24 de novembro, um sábado, no Monumental de Núnez. No entanto, o incidente com o ônibus do Boca na chegada ao estádio - atacado por torcedores do time da casa - deixou alguns jogadores feridos e adiou a partida para o domingo. Mesmo assim, a equipe visitante solicitou o cancelamento da decisão, alegando não ter condições psicológicas de entrar em campo.

A Conmebol, então, marcou uma reunião para a terça-feira seguinte, dia 26 daquele mês, onde conversaria com os presidentes dos dois clubes a fim de definir onde seria a nova decisão. E após ouvir propostas de algumas cidades, decidiu por levar o superclássico para Madri.

FICHA TÉCNICA

RIVER PLATE X BOCA JUNIORS

RIVER PLATE: Armani; Montiel, Maidana, Pinola, Casco; Enzo Pérez, Ponzio, Palácios, Fernandez, Martínez; Pratto. Técnico: Marcelo Gallardo.

BOCA JUNIORS: Andrada; Buffarini, Magallán, Izquierdoz, Olaza; Nández, Barrios, perez, Pavon; Benedetto, Villa. Técnico: Guillermo Schelotto.

ÁRBITRO: Andrés Cunha (URU)

LOCAL: Estádio Santiago Bernabéu, em Madri (Espanha)

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.