Twitter / FC Groningen
Twitter / FC Groningen

Robben diz não temer fracassar em volta ao futebol: 'Não tenho nada a perder'

Meiocampista holandês deixou aposentadoria para atuar pelo Groningen, clube que o revelou

Redação, Estadão Conteúdo

28 de junho de 2020 | 17h58

Depois de anunciar que desistiu da aposentadoria para tentar voltar a jogar, o meia-atacante Arjen Robben foi apresentado neste domingo pelo Groningen, clube que o revelou para o futebol. O veterano salientou que não tem medo de fracassar em seu retorno e garantiu que quer voltar a jogar "por amor" ao time de coração.

Robben se mostrou relaxado e sem o temor de que as coisas possam não ir bem em seu retorno aos gramados. Ele reconheceu que pode falhar, e deixou claro que não dá para assegurar se a experiência vai dar certo. Mesmo assim, se mostrou confiante em uma nova trajetória bem sucedida no futebol.

"Claro que posso falhar. E depois? Eu não deveria fazer isso? Eu quero ir em frente, você só descobrirá mais tarde se foi bem sucedido. Talvez as coisas não funcionem do ponto de vista do futebol, fisicamente falando. Então as pessoas dirão: "Ele nunca deveria ter feito isso?". Mas por que você não deveria fazer isso? Eu não tenho nada a perder. Minha carreira já terminou. Quem vai me impedir de começar aqui? Eu tenho uma visão positiva e me concentro em certas coisas. Depois fazemos o melhor possível. E então veremos onde o navio atracou. Talvez termine em um mês, talvez dois anos. Vamos ver", afirmou.

"Gostaria de enfatizar que ainda não é um retorno, mas uma tentativa. Tenho certeza disso, meu instrutor físico também. O objetivo e a missão são claros: quero estar em campo e jogar partidas. Mas é bom frisar, para evitar decepções com apoiadores e patrocinadores: pode variar de zero a uma temporada inteira", destacou Robben, sem precisar quanto tempo vai durar sua nova experiência nos gramados.

O jogador holandês vinha treinando no Bayern de Munique nas últimas semanas. Segundo ele, a sua forma física é boa e a ideia é conseguir, de fato, ajudar o Groningen dentro de campo e também fora dele. Ele diz não ter sofrer mais com problemas físicos que o forçaram a se aposentar no ano passado. "Sinto-me muito bem e estamos no caminho correto. Ainda devo dar alguns passos, mas tenho um pressentimento muito bom sobre o futuro", ressaltou.

O veterano assegurou que o retorno aos gramados é por amor ao Groningen, clube em que jogou dos 12 aos 18 anos, antes de se transferir ao PSV e depois construir uma carreira de sucesso fora da Holanda, no Chelsea, Real Madrid e, principalmente, no Bayern de Munique, no qual alcançou status de ídolo.

"Se fosse uma outra equipe a me fazer uma boa oferta, acho que não teria aceitado", revelou o jogador de 36 anos. "O Groningen tem potencial para continuar crescendo. Pode jogar consistentemente abaixo dos três primeiros colocados do Campeonato Holandês. Acho que é possível", emendou.

Depois da entrevista coletiva, em que esteve ao lado do diretor do clube, Mark-Jan Fledderus, Robben subiu ao gramado. Lá, brincou com a bola e posou para fotos com a camisa 10. O Groningen não permitiu a entrada de torcedores no local. Seu retorno ajudou a equipe holandesa a chegar à marca de 10 mil ingressos vendidos para a próxima temporada.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolArjen Robben

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.