Robert fica com pena de companheiros

O meia Robert resumiu em poucas palavras a apresentação do Santos, goleado por 5 a 0 neste domingo, no Pacaelmbu, pelo Corinthians. "Depois do segundo gol deu pena", disse. Único jogador do Santos convocado para a seleção, Robert deixou o gramado aos 29 minutos de jogo, machucado. Desolado, no vestiário, mal tinha forças para reclamar de alguém. "Não há culpados pela derrota. Infelizmente, estava tudo aberto." O discurso era o mesmo do técnico Geninho. "O jogo começou 1 a 0 para o Corinthians" afirmou."Eles fizeram um gol logo no início e depois da expulsão do Pitarelli ficou tudo mais fácil. Não podemos tirar os méritos deles, que jogaram muito bem". O descontrole dos jogadores do Santos ficou evidente ainda no primeiro tempo. O atacante Caio, que entrara no lugar de Robert, reclamou com o zagueiro Galván no lance em que o goleiro Pitarelli fez falta em Luizão e foi expulso. O argentino respondeu com uma cabeçada.Depois do jogo, no vestiário, Galván foi irônico. "O Caio veio gritando do meio-de-campo. Dei uma cabeçada, mas não foi para machucar", disse, acusando os jornalistas de querer "criar um clima ruim". Caio tentou minimizar o incidente. "Já conversamos e está tudo certo. Ele é meu amigo." O atacante chegou a negar ter recebido a cabeçada."Quem ouve, pensa que saí com a cabeça sangrando. Ele só encostou a testa dele na minha." Geninho se esquivou do problema. "Eu estava dando instruções para o goleiro Rafael, que iria entrar no jogo. Não posso comentar um lance que não vi", afirmou. Geninho disse que vai assistir ao videoteipe da partida antes de tomar qualquer decisão. "Se houve realmente algo, vou conversar com os dois." O técnico terá com o que se preocupar durante a semana. O próximo jogo do Santos pelo Campeonato Paulista será contra a Ponte Preta, no final de semana, em Campinas. Léo e Renatinho, suspensos, não jogarão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.