Roberto Carlos abre uma vaga no Real

O lateral-esquerdo Roberto Carlos terá a nacionalidade espanhola, abrindo uma vaga no Real Madrid para a contratação de um jogador de fora da Europa. Roberto Carlos admite que a iniciativa facilitará a chegada de mais um brasileiro no time de Vanderlei Luxemburgo, em especial a de Robinho. Pelas regras atuais, os times europeus podem ter até três atletas de fora dos 25 países da Comissão Européia. No Real, além do lateral, Ronaldo e o argentino Samuel preenchem a cota dos extra-comunitários, dificultando novas contratações.Membros da comissão técnica do Real garantiram à Agência Estado que o clube está brigando para trazer o atacante do Santos. ?Robinho iria entortar muita gente?, afirma um membro da equipe técnica de Luxemburgo, que reconhece que outros clubes ainda estão na briga pelo jogador. ?Não sei se o Robinho vem, mas seria muito bom. Ele já jogou muito e acho que deve buscar uma situação financeira melhor. Hoje, o melhor clube para se jogar é o Real Madrid. Ele poderia fazer aqui o que o Ronaldinho Gaúcho está fazendo no Barcelona?, afirmou Roberto Carlos, que acredita que seu novo passaporte sairá no máximo até início de fevereiro. Se o processo for concluído antes do dia 31 de janeiro, abrirá a possibilidade para que o Real contrate um jogador de fora da Europa ainda neste mês. No caso de Robinho, os rumores seriam de que uma vinda para a Europa ocorreria apenas no meio do ano.O lateral confirma que o pedido para que tivesse a dupla nacionalidade veio do vice-presidente do Real Madrid, Emílio Butragueño. Ronaldo e Samuel também estariam pensando em fazer o mesmo. ?Se eu tivesse um passaporte espanhol no ano passado, o Eto?o teria vindo para o Real, e não ido para o Barcelona?, explicou Roberto Carlos.Pelas leis espanholas, depois de viver três anos no país, um trabalhador pode pedir a dupla nacionalidade. Roberto Carlos nega, porém, que tenha pedido dinheiro por isso. ?Não cobrei por isso, mas fiz um bom contrato até 2008?, afirma o lateral, que renovou sua permanência no Real no ano passado e que deixou de dar entrevistas para a imprensa espanhola desde que foi publicado que ele estaria indo ao Chelsea. ?Não era verdade?, disse.O lateral garante que não deixará de usar o passaporte do Brasil e muito menos de se sentir brasileiro. ?Vou ajudar o clube, mas meu passaporte será sempre o brasileiro?, afirmou. Roberto Carlos ainda deixa claro que irá jogar por mais seis anos, até completar 38 anos. Depois, se dedicará a ser técnico e continuará financiando suas equipes de Stock Car e no mundial de Motovelocidade. ?Estamos buscando um brasileiro para a equipe de motos de 125 cilindradas?, afirmou o lateral, que admite que não anda de moto por não ter altura suficiente para alcançar o pedal.Meio-campo - Já falando como um estrategista, o brasileiro destaca que o Real está em busca de um meio-campo defensivo, já que nem Beckham nem Guti cumprem a função. ?Precisamos de um Emerson ou de um Gilberto Silva?, afirmou. Roberto Carlos não nega que uma das opções seja o dinamarquês Gravesen, mas lembra que Maldonado, do Cruzeiro, seria um ?ótimo jogador para o Real?.Luxemburgo teria uma lista de 20 nomes para escolher, entre eles Magrão do Palmeiras. Roberto Carlos, porém, acha que o jogador não atende exatamente às características. ?Ele é mais de sair jogando?, afirmou. Para o lateral, apesar de haver um responsável por cada área do Real, Luxemburgo deve ter o controle sobre a equipe. ?O clube deu carta branca ao técnico?, afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.