Roberto Carlos é foco de jogo entre Corinthians e Lusa

Se para o Corinthians pouco importa o resultado do jogo deste sábado, contra a Portuguesa - o foco do time é a estreia na Libertadores, para Roberto Carlos a partida, às 16 horas no Canindé, pode representar a confirmação de que ele é importante e decisivo para equipe.

VÍTOR MARQUES, Agencia Estado

13 de fevereiro de 2010 | 08h06

Principal contratação para a temporada, o lateral-esquerdo cobra dele mesmo melhor desempenho a cada jogo - até agora foram apenas quatro - e persegue o que chama de regularidade no seu futebol. "Estou adaptado e louco para jogar meu melhor futebol. Contra o Sertãozinho, consegui ir bem. Contra a Portuguesa, tenho que ser melhor ainda."

Mas essa busca por uma grande atuação (Roberto sabe que pode render muito mais) não tem tirado o sono do lateral. Quem conversa com ele garante que RC está tranquilo. E não tem nem aquela obsessão por fazer logo seu primeiro gol.

Além disso, mostra uma humildade pouco comum para um jogador de seu quilate, ex-Real Madrid e seleção brasileira. "Nunca me achei um fora de série. Em todas equipes que passei mantive uma regularidade."

Na vitória por 4 a0 contra o Sertãozinho, Roberto Carlos teve sua melhor atuação até aqui porque jogou mais solto, subiu mais ao ataque e deu um passe para o gol de Marcelo Mattos.

É essa regularidade que ele espera manter neste sábado, apesar de o time ter novamente uma série de mudanças. Alguns jogadores estão machucados, outros serão poupados para evitar lesões.

Roberto Carlos só estará em campo no Canindé por causa de efeito suspensivo. Ele havia sido suspenso por mais uma partida pela expulsão no clássico contra o Palmeiras. "Achei perfeito. O Corinthians trabalhou bem e a justiça entendeu a situação. Não sou maldoso e não fui com a intenção de machucar o adversário. Não quero ser exemplo de jogador maldoso ou agressivo."

A expulsão, aliás, foi o único ponto de discórdia entre Roberto e o técnico Mano Menezes, que não gostou nem um pouco do cartão vermelho aos oito minutos do clássico contra o Palmeiras. "Tivemos uma conversa para ajustar o ponto."

Sobre o jogo desta tarde contra a Portuguesa, Roberto Carlos acha que até em caso de tropeço a equipe não deve se abalar. Um das razões é que, segundo ele, o time ainda está em formação para a Libertadores - a estreia será dia 24, contra o Racing. "Ainda temos três jogos até lá."

O Corinthians terá uma novidade da defesa. Leandro Castán substituí Chicão, com dores no tornozelo direito. No meio-de-campo, Ralf volta ao time, e Jorge Henrique deverá atuar na vaga de Danilo, machucado. A dúvida de Mano Menezes está no ataque. Edno e Souza brigam por um lugar na equipe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.