Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

Roberto de Andrade quer equilibrar as finanças do Corinthians

Dívida corintiana é estimada em R$ 313 milhões em relatório feito pela antiga diretoria, que apoiou eleição do novo presidente

RAPHAEL RAMOS, O Estado de S. Paulo

07 de fevereiro de 2015 | 19h00

Eleito neste sábado novo presidente do Corinthians até fevereiro de 2018, Roberto de Andrade disse que a sua prioridade será equilibrar as finanças do clube. De acordo com relatório divulgado no última quinta-feira pela antiga diretoria, a dívida alvinegra é de R$ 313 milhões. "Vamos diminuir despesas e aumentar receitas. Será um ano difícil, mas o time está pronto e não requer mais investimentos", afirmou.

O candidato da situação recebeu 1.848 votos (57%) contra 1.393 (43%) de Antônio Roque Citadini. Foram registrados 13 votos em branco. Também foram eleitos neste sábado os vice-presidentes André Luiz Negão e Jorge Kalil. A chapa Renovação e Transparência, encabeçada por Andrade, ainda ganhou a eleição para o Conselho Deliberativo com 1.817 votos. O grupo Pró-Corinthians, de Citadini, ficou com 1.413. Assim, o chapa do novo presidente terá 200 novas cadeiras no conselho.

Roberto de Andrade vai suceder Mário Gobbi, de quem era diretor de futebol até o início do ano passado, quando pediu afastamento para se dedicar à campanha. "Vamos dar continuidade naquilo que acertamos e mudar aquilo que erramos", disse. Com a vitória de Andrade, o grupo do ex-presidente Andrés Sanchez se mantém no comando do clube desde 2007.

Mesmo diante das dificuldades financeiras do clube, Roberto de Andrade garantiu aos torcedores que durante o seu mandato o Corinthians vai ter um elenco competitivo, em condições de brigar por títulos. "Sempre vamos ter um time forte, essa é a nossa intenção. Se vamos ganhar ou não, é consequência", afirmou.

Um dos seus desafios será manter o atacante Guerrero. O contrato do peruano termina em julho e ele já está livre para assinar com outro clube e deixar o Corinthians de graça no segundo semestre. Guerrero pede R$ 18 milhões de luvas. "Vamos conversar depois do Carnaval, mas posso garantir que o Corinthians vai fazer de tudo para que o Guerrero fique", disse.

Roberto de Andrade também afirmou que a chegada do atacante Vágner Love, contratado na sexta-feira, não tem relação com a saída ou permanência de Guerrero. "Não é recado para ninguém, pensamos apenas em deixar o time forte. Vágner Love veio para somar e deixar o elenco mais forte".

Outra promessa de campanha de Roberto de Andrade é terminar as obras do centro de treinamento da base no Parque Ecológico. "Já temos o projeto dentro da Lei de Incentivo ao Esporte e agora precisamos arrumar uma empresa para trazer os recursos. Essa empresa vai deixar de pagar impostos para fazer a obra. O CT da base não tem relação com as finanças do clube, o que precisamos fazer é captar os recursos no mercado", completou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansRoberto de Andrade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.