Alessandro Garofalo/Reuters
Alessandro Garofalo/Reuters

Roberto Firmino marca em dura vitória do Liverpool sobre a Internazionale

Atacante tenta redenção na seleção brasileira e no clube inglês após perder espaço para Diogo Jota

Fábio Hecico, Estadão Conteúdo

16 de fevereiro de 2022 | 19h11

Roberto Firmino perdeu a posição de titular no Liverpool para Diogo Jota e não participou das últimas convocações da seleção brasileira. Em busca da redenção, o brasileiro deu o primeiro passo nesta quarta-feira ao sair do banco de reservas no Giuseppe Meazza, em Milão, para abrir caminho da boa e sofrida vitória do time inglês sobre a Internazionale, por 2 a 0, pelas oitavas de final da Liga dos Campeões.

Quem vê o resultado apenas, não imagina o tamanho do sofrimento do Liverpool na partida, sobretudo no segundo tempo, no qual a Inter criou bastante e merecia maior sorte no duelo de ida das oitavas. Foi uma amarga derrota de quem jogou melhor e criou belas oportunidades. Carimbou até o travessão de Alisson.

O primeiro gol do jogo, por exemplo, saiu somente aos 30 minutos da etapa final, em uma das raras chegadas no ataque dos ingleses, agora com sete vitórias seguidas na competição e com 100% de aproveitamento. Salah fechou a conta aos 38 aproveitando sobra dentro da área.

Méritos para Jürgen Klopp, que mexeu bastante na equipe quando ela era dominada. As mudanças surtiram efeito e o Liverpool carrega enorme vantagem para Anfield, dia 8 de março, no duelo de volta.

Klopp não teve dúvidas na hora de mandar o Liverpool a campo e escalou Mané e Salah desde o início ao lado do português Jota. A dupla estava na Copa Africana das Nações e voltou para deixar o ataque inglês mais forte na missão de defender a campanha perfeita.

Como era esperado, o Liverpool foi logo alugando o campo ofensivo, buscando um gol rápido. De cabeça, Mané perdeu boa chance logo aos 13 minutos ao cabecear pelo alto. Ainda ficaria no quase em bela bicicleta. A resposta veio em um contragolpe, com Çalhanoglu mandando uma bomba no travessão. Alisson apenas observou.

Sob forte cantoria de sua torcida, a Inter tentava superar a melhor técnica do oponente na determinação pedida por Simone Inzaghi. O técnico sabia que seu time precisava de superação para buscar um bom resultado. Perisic e Çalhanoglu eram quem mais davam trabalho aos ingleses.

Apesar de o primeiro tempo ter sido bastante movimentado, com lances ofensivos de ambos os lados, o grito de gol não saiu no Giuseppe Meazza. A Inter foi corajosa e assustou, enquanto o favorito Liverpool também deu trabalho para Handanovic.

Klopp optou pelo brasileiro Roberto Firmino no intervalo para aumentar seu poderio ofensivo. Apostava na reedição do trio com Mané e Salah que foi fatal na conquista da Liga dos Campeões em 2019.

Mas quem retornou melhor foram os donos da casa. Sempre com a bola passando nós pés de Perisic. Lautaro Martínez ficou bem perto de tirar o zero do placar. Desgostoso com o time, Klopp mudou mais três de uma vez. Keita entrou apenas para ajudar Arnold a neutralizar Perisic.

O Liverpool lutava para equilibrar o confronto quando, em uma das poucas jogadas ofensivas da segunda etapa, conseguiu chegar ao gol. O lateral Robertson cobrou escanteio na cabeça de Firmino, que deu a casquinha e mandou no canto de Handanovic. Klopp festejou com punhos cerrados, diante de oponentes incrédulos.

Após nova chance desperdiçada da Inter, em chute raspando de Perisic, o Liverpool voltou às redes com Salah garantindo um imenso passo rumo às quartas de final.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.