Robgol ansioso para a estréia no Santos

Se a estréia em um time de ponta e o primeiro jogo da carreira no Campeonato Paulista já seriam motivo suficiente para um atacante entrar em campo com fome de gols, no caso de Robgol, do Santos, esses dois argumentos não são de maior força. O jogador conta que sua filha, Maria Luísa, nasceu no dia 13 e, se possível, pretende comemorar o nascimento dedicando um gol à menina, que nasceu prematura e ainda luta no hospital para sobreviver. "A gente (o atacante e a mulher, Daiane) não esperava que ela nascesse de seis meses. Nem tínhamos escolhido o nome ainda.", conta Robson, que estava na pré-temporada do Santos, em Jarinu, quando recebeu a notícia do parto realizado às pressas.O jogador diz que os primeiros dias foram de apreensão quanto à saúde do bebê, mas nesta terça-feira, as notícias já eram bem animadoras. "Liguei para minha mulher e ela me contou que tomou 10 ml de leite." Mais tranqüilo com as boas notícias, Robgol diz que a pontaria está afiada, tanto que já garantiu boca-livre em três rodízios, dois de churrasco e um de pizza, por conta das apostas nas disputas de pênalti. "Ganhei duas do Júlio Sérgio e uma do Oliveira", conta o jogador. O desafio é marcar três vezes consecutivas, o que tem conseguido até agora.Sobre o jogo contra o Oeste, Robgol diz que o torcedor deve esperar um jogador diferente daquele que defendeu o Paysandu no ano passado. "Até por uma necessidade, eu tinha de voltar mais para a marcação. No Santos já tenho mais liberdade para ficar na área em busca do gol."

Agencia Estado,

21 de janeiro de 2004 | 09h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.