Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Robinho admite atuação ruim; veja as declarações dos atletas

Atacante da seleção afirma que a equipe não convenceu na vitória por 4 a 3 sobre o Egito na África do Sul

Agencia Estado

15 de junho de 2009 | 14h03

BLOEMFONTEIN - O atacante Robinho saiu do discurso-padrão e criticou a sua atuação na vitória por 4 a 3 sobre o Egito, na estreia do Brasil na Copa das Confederações. Ao contrário da maioria de seus companheiros de seleção, ele afirmou que esteve mal em campo e disse que o time não convenceu.

Veja também:

linkKaká reconhece necessidade do Brasil melhorar

Copa das Confederações 2009 - tabela Classificação

Copa das Confederações 2009 - lista Calendário

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

"Foi uma vitória importante, mas não convincente. A seleção está consciente disso e nós jogadores sabemos que podemos jogar melhor. Eu joguei muito mal, estava errando muitos passes", afirmou o atacante, que foi substituído por Alexandre Pato no segundo tempo.

Robinho, como os demais jogadores, atribuiu ao cansaço à má atuação da equipe. "Não é querendo dar desculpa, mas o desgaste físico atrapalhou, nosso time estava mal fisicamente. Precisamos descansar", disse.

Outro jogador que admitiu a má atuação foi o atacante Luís Fabiano. Ele revelou que seleção brasileira não esperava sofrer tanto. "A gente sofreu mais do que o esperado, poderíamos ter tocado mais a bola, com mais paciência. O próximo jogo é muito complicado, mas a tendência é melhorar."

VEJA OUTRAS DECLARAÇÕES

Julio César

"O futebol reserva momentos assim, e disso sempre é possível tirar um aprendizado. Mas o importante é que mantivemos a cabeça tranquila e conseguimos o resultado positivo".

"A reação dos jogadores no vestiário foi de alívio. Você tem a partida controlada e leva dois gols, é complicado, então foi bom ter feito no final. A atuação foi satisfatória e o importante foram os três pontos".

André Santos

"O mais importante é entrar e ajudar a seleção. Mais uma vez a minha estrela brilhou, já que eu entrei e a gente pôde fazer o quarto gol. Eu vou trabalhar para começar jogando contra os Estados Unidos, mas tenho que agradecer a oportunidade dada pelo professor hoje (segunda)".

Elano

"Primeiro tempo foi bom e no inicio do segundo sentimos o desgaste. Dormimos pouco nos últimos dias, viemos de duas partidas difíceis".

"A bola parada é boa, sempre ajuda. Mas a seleção também vem fazendo gols de jogadas tabelando fora da área".

Felipe Melo

"Afrouxamos um pouquinho no segundo tempo, mas sabíamos das dificuldades. Sentimos um pouco o cansaço, foram muitas horas de viagem. Mostramos a força do Brasil, nem sempre vai na técnica, e hoje (segunda) valeu a raça do time".

Gilberto Silva

"Não podemos aliviar em momento algum. Estava na nossas mãos e perdemos o controle do jogo. Fazia tempo que a seleção não sentia isso. A gente conversava, mas faltava perna para acertar uma jogada".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.