Robinho ataca técnico e diz ter a 'cabeça no Chelsea'

A um dia e meio do fechamento do mercado europeu para transferência de jogadores, o atacante Robinho afirmou, neste domingo, em entrevista coletiva, que está "com a cabeça no Chelsea" e sugeriu que o técnico do Real Madrid, Bernd Schuster, seria o maior obstáculo à negociação com o clube inglês. "O presidente (Ramon Calderon) e Predrag (Mijatovic, diretor de esporte do Real) dizem que vão me deixar ir embora, mas Schuster não, porque ele prometeu me fazer sentir bem de novo no time. Se ele pensa assim é problema dele. Eu não quero ficar no Real Madrid", declarou o jogador. Robinho disse que já explicou aos dirigentes do clube espanhol sua vontade de se transferir para o time comandado pelo técnico Luiz Felipe Scolari. "A situação não mudou nada. Continuam as negociações. Sigo com a mesma idéia de sair do Real Madrid, quero jogar no Chelsea. Disse isso ao presidente, diretores, Mijatovic e ao treinador. O treinador ainda acredita que pode me recuperar, mas minha cabeça está no Chelsea". "Calderon disse que se houvesse uma boa oferta eles me liberariam. O Chelsea fez uma boa proposta para me contratar", declarou o brasileiro. O clube inglês teria oferecido um aumento substancial do salário anual do brasileiro, avaliado em 2,1 milhões de euros (R$ 5 milhões). O atacante também informou que vem tentando renovar seu contrato com o Real Madrid desde maio, mas o clube estaria mais interessado em assinar com o atacante português Cristiano Ronaldo, do Manchester United. "Meu empresário foi conversar com a diretoria milhares de vezes, mas o Real não mostrou interesse em me manter. Agora, como o clube não contratou ninguém (para sua posição), eles querem que eu fique", lembrou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.