Robinho brilha

"Ricardo Gomes até nunca mais". A frase estava estampada em uma faixa que a torcida santista abriu, na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro. O clima no estádio era mesmo de apoio aos jogadores do Santos que haviam fracassado com a seleção Sub-23 no Pré-Olímpico. E a retribuição aos torcedores não poderia ter sido melhor. Fácil, muito fácil: vitória por 4 a 0 sobre o Mogi Mirim. Resultado que sustentou o time na liderança do grupo 2 do Paulistão, com 7 pontos, ao lado do Marília. O Mogi continua na rabeira, com apenas um ponto - é candidato ao rebaixamento.De volta da seleção, os jogadores foram recebidos com aplausos pela torcida. Fortalecidos com o apoio moral e diante de um adversário muito fraco, foi fácil demais somar três pontos na terceira rodada do campeonato.Tão fácil que, aos 9 minutos, o Santos já vencia por 1 a 0 - gol de Elano, um dos cinco participantes do fiasco no Pré-Olímpico. Doze minutos depois ele sentiu dores na coxa e foi substituído por Basílio. Aos 20, Robinho também fez o dele.A marcação do Mogi era um convite ao passeio santista. Robinho, Robson, Renato, Elano, Claiton e os laterais Paulo César e Léo tinham trânsito livre no campo do inimigo. Havia tanto espaço para jogar que não foi nada difícil o Santos criar várias situações de gol. Não marcou mais no primeiro tempo por falta de ambição.No segundo tempo, o técnico do Mogi voltou com o atacante Douglas na vaga do lateral-direito Julio César. Caminho aberto para Léo atacar. E o lateral não perdeu tempo: fez 3 a 0 aos 19 minutos, após lindo passe de Robinho.Vitória assegurada, Leão tirou Robinho. A torcida aplaudiu o garoto mais uma vez - e xingou Ricardo Gomes.Quando Robinho saiu, o jogo estava morno. O Santos não encontrava a mínima resistência. Também estava sossegado no setor defensivo. Tão tranqüilo que o único chute do Mogi ao gol saiu aos 33 minutos, uma tentativa inútil de Gilson Batata, o veterano atacante de 35 anos com vasta quilometragem no futebol paulista.Nos últimos dez minutos, o time santista apenas tocou a bola. Quando a torcida se levantava para ir embora, Jerri marcou o quarto gol, aos 42 minutos, aproveitando rebote do goleiro Edervan em chute de Robson.Goleada na medida justa para um time que está se recompondo depois do fracasso de seus principais jogadores na seleção Sub-23."Mesmo cansados, nossos jogadores se movimentaram bem. Fizemos quatro gols e perdemos pelo menos mais quatro. Mas o time está muito longe do ideal. Temos muito trabalho pela frente", disse o técnico Emerson Leão.

Agencia Estado,

28 de janeiro de 2004 | 22h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.