Robinho: comemoração tripla no Natal

O atacante Robinho teve comemoração tripla neste Natal. Primeiro festejou a data, como todo cristão. Depois tinha dois bons motivos para comemorar:a volta de dona Marina, após 41 dias de seqüestro, que abalou não só o jogador, mas toda a torcida santista e, como não podia deixar de ser, a conquista do título de campeão brasileiro, festejado não só pelo elenco, mas por toda a sua família.A festa foi na casa da noiva Vívian, na Praia do Itararé, em São Vicente, junto com o pai Gilvan, dona Marina, os sogros Ana e Reginaldo, além de outros familiares e amigos. A comemoração rolou até as 3 horas da manhã e foi muito alegre, segundo garante a sogra Ana, que considera Robinho como um filho, já que o craque namora a sua filha "Vivi" desde a infância. "Eles sempre estiveram muito juntos e não seria diferente agora, em data tão especial", disse. Depois da festa, Robinho seguiu para a casa dos pais, onde foi dormir.Estava sendo aguardado para o almoço, conforme garantiu o sogro Reginaldo, conhecido como Naldo, o técnico de futebol que já passou pelo Esporte Clube Tumiaru e pelo São Vicente Atlético Clube, time vicentino que vem ganhando espaço nos últimos tempos, lá no Parque Bitaru, bairro onde Robinho morou e deu seus primeiros passos no futebol. Naldo antecedeu o atual técnico Negreiros (ex-craque do Santos FC), responsável pela ascensão da equipe para a categoria A-3.Naldo se empolga quando fala do seu ex-time, que pode até disputar competições mundiais, mas principalmente do genro Robinho, que acompanha desde os cinco, seis anos, quando o atacante dava suas primeiras pedaladas no futebol de salão. Sobre o futuro do craque, arrisca um palpite: "depois desse trauma todo, que ele viveu, com o seqüestro da mãe, dificilmente ele permanecerá muito tempo no Brasil", já deixando escapar as saudades que sentirá da filha Vivi, que certamente acompanhará o craque na Europa, após o casamento, ainda sem data marcada.Ninguém tem dúvidas do interesse dos times europeus pelo atacante santista. Na ocasião do seqüestro de dona Marina, no último dia 6 de novembro, o procurador do jogador, Wagner Ribeiro, encontrava-se na Europa, a fim de negociar uma eventual transferência do craque para países como Portugal, Espanha e até para a Inglaterra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.