Robinho corre, mas faz teste final amanhã

Apesar do campo pesado por causa da forte chuva que caiu durante todo o dia em Santos, Robinho correu durante 15 minutos e, no final, revelou que não mais sentia as dores nas pernas, que o impediram de viajar para a Bolívia. Mas não garantiu que joga domingo. "Não senti dores nesse trote leve, mas o teste será amanhã, no coletivo, que é um treino bem mais pesado", comentou. O médico Carlos Taira confirmou a melhora do atleta, mas revelou que sua escalação depende da avaliação final que será feita amanhã. Para o atacante, é só a condição física que pode afastá-lo do jogo e nem cogita de ir para o banco se não sentir dores. Ele contou que conversou com o técnico Leão na terça-feira à tarde, pouco antes do embarque da delegação para a Bolívia, e houve a conclusão que seria melhor permanecer em tratamento em Santos. "Ele ficou chateado porque sempre quer contar com todos os seus jogadores, mas ele disse que se fosse para ir ´meia-bomba´ era melhor ficar; como estava sentido dores, foi melhor me tratar para poder jogar a próxima partida". Robinho assistiu à estréia de seu time na Libertadores e gostou do resultado. "Não pude jogar, mas torci muito e valeu". Ficou satisfeito também com os companheiros que entraram no time, Basílio em seu lugar e Claiton no de Paulo Almeida. "Eles deram conta do recado, foram muito bem e é com esse espírito que nós podemos ganhar campeonatos". O fato de o banco estar substituindo bem os titulares pode tirar o peso que sempre caiu nas costas da dupla Diego e Robinho. "É claro que sempre vamos ter nossa responsabilidade, mas os jogadores estão entrando bem e isso é importante porque um time que pretende ser campeão de dois campeonatos importantes como o Paulista e a Libertadores não pode depender só de 11 jogadores". Por isso, ele entende que o Santos é um grupo. "Não tem titular e o jogador que entra tem que mostrar seu trabalho".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.