Paolo Bona/Reuters
Paolo Bona/Reuters

Robinho detona Luis Alvaro e descarta volta ao Santos

Para atacante, presidente santista 'perdeu a chance de ficar calado'

SANCHES FILHO, Agência Estado

11 Julho 2013 | 22h00

SANTOS - Um dia depois de o Santos anunciar que desistiu de contratar Robinho nesta janela de transferências internacionais, mas vislumbrar a possibilidade de contratar o atacante no futuro para aquela que seria sua terceira passagem pelo time, o jogador resolveu se pronunciar oficialmente, na noite desta quinta-feira, por meio de uma longa nota que deve estremecer sua antiga relação com o clube. Por meio dela, ele rebateu declarações do presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, acusando o dirigente de ter mentido sobre os valores que o Milan teria aceitado para liberá-lo, e aproveitou para avisar que não existe a possibilidade de retornar ao Santos enquanto o mesmo for administrado pela atual diretoria.

Por meio de sua assessoria, Robinho citou uma entrevista concedida pelo dirigente na última quarta-feira para a Rádio Bandeirantes, na qual Luis Alvaro disse que "o Milan chegou a um número bastante razoável, menos de 6 milhões (de euros)", insinuando que o alto valor salarial que teria sido pedido pelo atacante foi o fator decisivo que inviabilizou o novo retorno do jogador ao Santos. "Cada um sabe o que quer ganhar, a gente tem que respeitar isso. E o que o Robinho quer ganhar, somado ao que a gente teria que pagar ao Milan, dá um numero impraticável para qualquer clube no futebol brasileiro", disse o presidente santista.

Robinho garantiu que ele e seus representantes nunca tiveram "a postura de imputar culpa, ou a péssima conduta de jogar a imprensa ou torcida contra quem quer que seja", para em seguida ir ao ataque contra Luis Alvaro.

"O presidente do Santos perdeu a chance de ficar calado: assim, evitaria agora ser desmentido publicamente e, ainda, ver revelado o que o mesmo não queria. Em primeiro lugar, não é verdade que o Milan aceitou um pagamento de ''menos de 6 milhões (de euros)'': a representante de Robinho é quem fez toda a intermediação entre o Santos e o Milan (já que um clube da grandeza do Santos não enviou nenhum representante, em momento algum, para tentar contratar o jogador, já que o Santos é que queria contratar). E o valor pedido pelo Milan - apesar de muito facilitado - foi bem maior que esse?. ainda, tomamos o cuidado de perguntar hoje (quinta-feira) para o Milan, e o Milan confirmou que não houve nenhuma aceitação de redução de sua parte", assegurou a nota oficial.

A assessoria do atacante ainda fez questão de destacar por várias vezes que "há pelo menos um ano e meio" o Santos tenta contratá-lo e está ciente de que teria de desembolsar altos valores para voltar a contar com seu futebol - após sua primeira passagem pelo clube, o atleta defendeu a equipe por empréstimo em 2010, quando se sagrou campeão paulista e da Copa do Brasil.

Depois, Robinho disse que o Santos "nunca fez uma proposta oficial por escrita ao Milan" durante esta janela de transferências internacionais e apenas realizou "consultas por terceiros". Para completar, afirmou que o Milan adotou uma prática incomum durante a negociação entre as partes. "Inusitadamente, após uma reunião com a representante do jogador (em 05/07/2013), partiu do Milan a iniciativa de enviar um comunicado oficial ao Santos com a proposta final para aceitar uma negociação (isso porque, já se aproximava o fim da janela de transferência no Brasil)", escreveu.

SALÁRIO ''INFINAMENTE'' MENOR

Sem falar em valores, Robinho também resolveu revelar que o Santos estava disposto a pagar uma quantia salarial muito inferior aos seus vencimentos atuais no Milan para contratá-lo.

"Entre benefícios e salários, o jogador Robinho ganha infinitamente mais do que a diretoria do Santos FC propôs: aliás, propôs não... porque uma proposta concreta nunca houve também: só existia a pergunta da diretoria do Santos de quanto o jogador ganha, e quanto o mesmo poderia diminuir de salário para jogar no Santos; e a promessa de que iriam fazer ''contas'' e ver uma operação para tentar possibilitar a negociação", atacou o jogador, para depois pontuar que aceitaria "abrir mão de por volta de 35% do seu ganho atual, por ano, para ir jogar no Santos" novamente.

Em tom de desabafo, Robinho também fez questão de reafirmar o carinho que tem pela torcida santista, mas mandou um recado para parte dela e para profissionais da imprensa que o criticaram durante esta última negociação do Santos com o Milan.

"Aos jornalistas e aos torcedores exaltados que chamam o jogador Robinho de mercenário: vocês abririam mão de 30%, 35% de seus atuais salários para irem trabalhar no Santos ou qualquer outro lugar? Será que o presidente do Santos faria isso? Sim, o jogador Robinho tem consciência que ganha um salário diferenciado - como vários jogadores e outros profissionais - diferentemente da maioria da população. Mas mesmo assim, tem seus limites para ''abrir mão'' dos seus direitos. Não esqueçam que a profissão de jogador é curtíssima: Robinho não vai ganhar esse dinheiro o resto da vida, não é uma empresa; quando parar de jogar, acabou seu ganho. Quantos anos mais Robinho tem de carreira? Talvez 5, 6, 10 se o corpo aguentar e nenhuma lesão séria ocorrer", ressaltou.

A longa nota oficial ainda pontuou que Robinho autorizou o clube a licenciar o uso da sua imagem para campanhas publicitárias, "hoje de rendimento exclusivamente seu". "Aliás, com o uso de imagem do jogador, o Santos pretendia pagar parte de seu salário, como nunca negou (ou seja, o jogador teria que fazer campanha, trabalho extra, para pagar seu próprio salário)", ressaltou.

NA ''CONTA'' DO ROBINHO

Robinho também acusou o Santos de colocar na "conta" do jogador o insucesso na tentativa de contratar outros jogadores. Ele citou Zé Roberto, Nilmar, Deivid e disse que "todos esses jogadores pediram ''demais'' segundo a diretoria do Santos: e todos eles acabaram contratados por outros clubes brasileiros".

"Com o Paulo Henrique Ganso e o Elano, que são jogadores que marcaram história no Santos, a diretoria do Santos fez igual ao que tenta fazer agora com o Robinho: não conseguiram uma negociação de valores e começaram a "vazar" as solicitações dos jogadores, inventar mentiras, sempre colocando a imprensa e a torcida contra os jogadores. E, ainda querem colocar na ''conta'' do Robinho, dizendo que a culpa foi dele? E o que ocorreu com esses jogadores, em situações parecidas, também foi culpa do Robinho?", ironizou a nota oficial.

ROBINHO NUNCA MAIS?

Por fim, a nota oficial lamentou o fato de que, sob a atual administração do Santos, não existe a chance de Robinho voltar a jogar pelo time. "O desabafo é em nome do jogador Robinho que, como ser humano, chegou no seu limite de tolerar calado tantas bobagens e injustiças. Ao torcedor santista, pedimos desculpas em nome do jogador Robinho, mas informamos também em seu nome que, infelizmente, com a atual diretoria é totalmente impossível qualquer nova abertura de negociação e de ocorrer seu volta ao Santos. Mesmo assim, Robinho continuará tendo o mesmo carinho e respeito pelo Santos e aos santistas", encerra a nota.

Mais conteúdo sobre:
futebolSantos FCRobinhoMilan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.