Robinho dividido entre seleção e Santos

Robinho revelou neste domingo que está dividido entre a seleção brasileira e o Santos. Ao mesmo tempo em que gostaria muito de ajudar seu clube na Copa Libertadores da América no jogo decisivo contra o Atlético-PR, quarta-feira, também vive o sonho da Copa das Confederações na Alemanha. E o momento é de conquistar uma vaga no grupo que irá ao Mundial de 2006. O jogador contou que procurou a CBF para tentar a liberação.Queria defender o Santos e depois retornar à seleção brasileira. Não conseguiu. A CBF (leia-se Carlos Alberto Parreira) vetou a liberdade provisória do craque. "Conversei com o Parreira sobre a possibilidade de me liberar para jogo contra o Atlético Paranaense. Não foi possível. Deixei para o Santos resolver com a CBF", disse Robinho, em Leverkusen, depois do primeiro treino do Brasil no palco das Confederações. Parreira não deu trégua. O Santos não conseguiu nada. A CBF também não cedeu um milímetro. Robinho não só ficou na Alemanha como não será enviado de volta tão cedo para a Vila Belmiro, a não ser que o Brasil sofra uma eliminação prematura na competição - o último jogo da primeira fase será dia 22 contra o Japão, em Colônia. "Conversei com o Gallo (técnico do Santos) e disse que não abriria mão de ter o Robinho aqui. A Copa das Confederações, pelas atuais circunstâncias, tem um peso considerável. E eu não poderia dispensar o jogador." Longe da Vila, mas próximo de garantir a titularidade da seleção, Robinho disse que o momento é agora para assumir um lugar no time de Parreira. "Esta Copa das Confederações é uma excelente oportunidade para garantir uma vaga no grupo. Vou fazer de tudo para conquistar a confiança da comissão técnica. E daqui de longe torcer por meus companheiros do Santos contra o Atlético Paranaense."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.