Robinho diz que deseja 'ficar mais dez anos' no Santos

Jogador evita afirmar que volta ao clube paulista com o desejo de ser novamente lembrado para a seleção brasileira

Sanches Filho, O Estado de S. Paulo

07 de agosto de 2014 | 14h24

O atacante Robinho chegou ao Santos com contrato de empréstimo de um ano, cedido pelo Milan, mas afirmou, durante a sua apresentação oficial, que deseja ficar por um período bem maior no clube. Nesta quinta-feira, ele admitiu não ter o desejo de voltar tão cedo para o futebol europeu e declarou que espera ficar por bem mais tempo no time da Vila Belmiro.

"O empréstimo é de um ano, mas espero ficar mais uns dez. Mas não depende só de mim", afirmou Robinho, que agora inicia a sua terceira passagem pelo Santos, clube em que começou a sua carreira, saindo em 2005 e retornando em 2010, durante um período de apenas seis meses. 

"Olha, espero continuar por muito tempo, é o lugar onde eu cresci. Depende do Milan, tenho contrato com eles e preciso respeitar. Pretendo ficar mais tempo aqui, já joguei bastante tempo na Europa e pretendo continuar aqui", completou o novo reforço santista. 

A declaração de Robinho difere bastante do que aconteceu no ano passado, quando ele discutiu publicamente com o então presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro após negociação frustrada para voltar ao Santos. Dessa vez, ele declarou que seu amor ao clube está acima de qualquer dirigente.

"Isso é coisa do passado, o Santos é muito maior independentemente do presidente. Não tenho nenhum tipo de problema com ele, sou bem verdadeiro. Nunca tive problemas com a diretoria, o Santos está acima de tudo, o amor, tudo o que o Santos me proporcionou", comentou. 

De acordo com Robinho, o seu poder de escolha pesou na sua transferência para o Santos, porque o Milan também recebeu ofertas de outros times. "Se eu tivesse que voltar ao Brasil seria o Santos, que é a minha casa, mas envolvia o Milan, tinha contrato de dois anos com eles. O Milan ficou feliz com as propostas que vieram, escolhi o Santos porque é a minha casa, o contrato é muito bom, minha família está adaptada, então volto para o lugar onde sempre fui feliz", disse. 

Nas duas passagens anteriores pelo Santos, Robinho colecionou bons números, com 94 gols marcados em 213 partidas. O atacante também venceu por duas vezes o Campeonato Brasileiro (2002 e 2004), uma vez o Campeonato Paulista (2010) e outra a Copa do Brasil (2010). 

Agora, ele espera repetir o êxito. "Volto com a mesma vontade de jogar bem, com a mesma alegria que pisei a primeira vez na Vila. Espero ajudar no necessário, o Santos tem jogadores talentosos, Gabigol, Geuvânio. Espero que a minha terceira passagem seja igual ou melhor do que as anteriores. Espero chegar no melhor ponto possível", comentou.

Robinho evitou afirmar que volta ao Santos com o desejo de ser novamente lembrado para a seleção brasileira, agora dirigida por Dunga, e negou ter ficado chateado com o técnico Luiz Felipe Scolari por não ter sido convocado para a Copa do Mundo. Para ele, um retorno para a equipe será "consequência" do que ele fizer no Santos. 

"Não ficou magoa. Seleção sempre é o meu objetivo. Não sou mais garoto, joguei duas Copas, me preparei muito para essa, mas o Felipão optou por outros jogadores de qualidade, mas infelizmente o Brasil não jogou bem. Meu foco é jogar bem no Santos e a seleção é consequência do meu trabalho aqui. Agora preciso valer todo o esforço que a diretoria fez dentro de campo", concluiu.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantos FCRobinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.