Paulo Liebert/AE - 12/2/2010
Paulo Liebert/AE - 12/2/2010

Robinho diz que não sabe se joga, e Dorival faz mistério

Apesar de estar recuperado de uma tendinite no músculo adutor da coxa, atacante quer calma para retornar

AE, Agência Estado

31 de março de 2010 | 16h03

Recuperado de uma tendinite no músculo adutor na coxa esquerda, que o deixou de fora das últimas três partidas do Santos, o atacante Robinho afirmou nesta quarta-feira que ainda não sabe se poderá enfrentar o São Caetano no próximo domingo, fora de casa, pelo Paulistão.

Apesar de já estar recuperado da lesão, Robinho tenta readquirir a forma física perdida por causa do longo tempo afastado. "Não sei se vou jogar, mas já estou recuperado e treinando normalmente. No que depender de mim, quero jogar o mais rápido possível, mas temos uma comissão técnica para avaliar isso. Ainda não conversei com o professor Dorival (Júnior) para saber o que ele está planejando", disse Robinho, em entrevista coletiva no CT Rei Pelé.

O técnico Dorival Júnior, por sua vez, preferiu fazer mistério sobre o aproveitamento do jogador na partida em que o Santos poderá assegurar o topo da primeira fase do Paulistão por antecipação.

"Quero aproveitar para que façamos um trabalho com ele, finalizando a parte de preparação física. Não sei se o Robinho volta no próximo fim de semana, pois quero deixá-lo nas condições ideais. Espero poder contar com ele quando estiver bem. Agora ele esteve parado para se recuperar (de lesão) e não tem problema ficar mais uma partida fora desde que seja para voltar em melhores condições", ressaltou o treinador.

Robinho também aproveitou a entrevista coletiva desta quarta-feira para negar que tenha deixado de jogar pelo Santos por causa de um possível atraso no pagamento do seu salário, fato que chegou a ser especulado por alguns veículos de imprensa.

"O Santos não me pagou com atraso. Disseram que eu não joguei por causa disso, mas eu realmente estava contundido. Além disso, mesmo se o Santos não tivesse me pagado, teria jogado do mesmo jeito", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.