Robinho e Neymar começam juntos contra o Rio Claro

Santos busca a vitória neste domingo no Pacaembu para voltar à liderança do Campeonato Paulista

SANCHES FILHO, Agencia Estado

14 de fevereiro de 2010 | 08h02

Atacantes Robinho e Neymar estarão juntos pela primeira vez desde o começo de um jogo do Santos

 

SANTOS - Neymar acaba de completar 18 anos e sonha com a primeira Copa do Mundo. Robinho está de volta ao Brasil, depois de quase cinco anos, em busca da recuperação do futebol moleque para continuar com cadeira cativa na Seleção de Dunga. Os dois estarão juntos, pela primeira vez desde o começo de um jogo, neste domingo, às 17h, no Pacaembu, e prometem fazer um carnaval contra a defesa do Rio Claro.

 

Veja também:

Parcerias mais que perfeitas no futebol brasileiro

PAULISTÃO - lista RESULTADOS / tabelaCLASSIFICAÇÃO

"Com Robinho e Neymar, o ataque ganha em movimentação, na troca de passes e no sentido de penetração com a bola dominada. Espero que dentro de campo isso tudo se traduza em possibilidades reais de gols", torce Dorival Júnior.

Com apenas 30 minutos de coletivo, na sexta-feira, e com os atacantes titulares evitando choques, o treinador percebeu que com a habilidade de sua dupla de atacantes dificilmente a equipe vai sentir a falta de um centroavante de área.

Mas, se o Rio Claro se fechar, na tentativa de garantir pelo menos o empate, ele põe em campo mais um dos xodós da torcida santista, o veterano Giovanni, para ser a referência dentro da grande área. Além de bom finalizador, ele é alto e será opção para o jogo aéreo.

O golaço de calcanhar, a tabela com Neymar e as outras duas outras boas finalizações durante os 33 minutos em que Robinho esteve em campo no clássico contra o São Paulo serviram para mostrar que a nova dupla vai ser difícil de ser parada. "Essa garotada joga muito. Ganso é um jogador especial, que sabe enfiar bem a bola e tem muita qualidade, e Neymar pensa na frente e se movimenta o tempo todo", elogiou Robinho, após a sua primeira experiência com a camisa santista no empréstimo de seis meses. Neymar retribui, dizendo sentir orgulho ao atuar ao lado do seu ídolo.

Mais comedido, Paulo Henrique Ganso não concorda que o Santos já pode ser apontado como o mais forte candidato ao título paulista. "Nosso time apenas está mostrando qualidade, mas ainda precisa amadurecer e encontrar um encaixe para uma formação tática melhor", afirmou o meia.

Ele não nega que a vitória no clássico deu maior confiança e moral ao grupo. "Foi um teste de fogo e o Santos mostrou que está no caminho certo. Tanto que teve um grande volume de jogo, especialmente no segundo tempo", concluiu o armador.

Sem poder contar com Léo e Arouca (sofreram estiramento muscular na coxa esquerda no primeiro treino da semana), além de Wesley (suspenso pelo terceiro cartão amarelo), Dorival Júnior volta a escalar Pará na lateral direita e lança Wesley Santos, um dos destaques da Copa São Paulo, na esquerda. Germano teve a preferência do treinador para substituir Arouca.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.